ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Verão sufocante afeta produção de laticínios na Europa

Elizabeth Burden e Lucca de Paoli

31/08/2018 13h09

(Bloomberg) -- As famosas pastagens verdes e o clima frio da Irlanda são um ambiente perfeito para o pastoreio de gado leiteiro - mas não neste ano.

O verão sufocante deixou os campos marrons e levou à escassez de forragem para os milhões de vacas do país. Meses de seca e calor também provocaram problemas em toda a União Europeia, a maior exportadora de leite. Da Irlanda à Alemanha, fazendeiros tiveram que abater rebanhos ou antecipar em meses o fim da ordenha.

Para o setor de laticínios da UE, de US$ 12 bilhões, os campos secos aumentaram os custos de alimentação dos animais, o que diminuiu os lucros dos fazendeiros. A Autoridade de Agricultura e Desenvolvimento de Alimentos da Irlanda projeta que as fazendas de gado leiteiro ganharão metade do obtido no ano passado. A situação da alimentação poderia se tornar urgente e a produção de leite poderia cair nos próximos meses, de acordo com a Arla Foods, a maior produtora de laticínios da região nórdica.

"Em julho, trouxemos grama que deveria ter sido destinada à forragem do inverno", disse Pat McCormack, proprietário de 100 cabeças de gado leiteiro no condado de Tipperary, na Irlanda, onde trabalha há 21 anos. "Para um agricultor sem grama, sem silagem, sem dinheiro e com filhos na faculdade, é um grande desafio mental."

Urgência

A situação ficou tão ruim que a cooperativa Arla anunciou na quinta-feira que planeja tomar uma medida sem precedentes: conceder todos os seus lucros aos agricultores pressionados pela seca. A UE também interveio para ajudar os produtores que enfrentam a escassez de forragem, com medidas como a aceleração de pagamentos ou a flexibilização de normas relativas aos terrenos.

Embora a produção de leite não seja diretamente proporcional ao tamanho dos rebanhos e ainda seja cedo para avaliar de forma confiável o impacto sobre a produção, a associação alemã de fazendeiros DBV afirma que a oferta de leite na Alemanha Oriental pode cair 10 por cento em relação ao ano anterior. Um produtor irlandês estimou o prejuízo total diário em cerca de 10 euros (US$ 11,70) por vaca.

O calor também afetou diretamente o gado. Uma vaca produz cerca de 40 litros de leite por dia, mas o clima quente pode reduzir a produção pela metade, e a recuperação leva tempo, disse Peter Paul Coppes, analista sênior de laticínios do Rabobank International, em Utrecht, na Holanda. Os fazendeiros têm que pagar mais caro por forragens mais nutritivas se quiserem aumentar a produtividade.

A indústria do leite poderia enfrentar mais problemas mesmo com um clima mais favorável, porque o calor pode afetar a fertilidade dos bovinos, e a magnitude do problema só ficará clara dentro de nove meses, disse Chris Gooderham, analista de produtos lácteos do Conselho de Desenvolvimento Agrícola e Hortícola do Reino Unido.

"Tudo isso vai causar uma crise financeira no setor irlandês de laticínios, a menos que vejamos um aumento significativo no preço dos produtos", disse John Robinson, um produtor leiteiro com 130 vacas no condado de Kilkenny, no sudeste da Irlanda. "O Natal pode ser bastante desanimado."

--Com a colaboração de Agnieszka de Sousa.

Repórteres da matéria original: Elizabeth Burden em Londres, eburden6@bloomberg.net;Lucca de Paoli em Londres, gdepaoli1@bloomberg.net

Mais Economia