PUBLICIDADE
IPCA
1,25 Out.2021
Topo

Uber negocia aquisição de empresa de caronas de Dubai, dizem fontes

Alex Barinka, Matthew Martin e Giles Turner

18/09/2018 12h50

(Bloomberg) -- A Uber Technologies negocia a compra da rival Careem Networks, com sede em Dubai, em meio à expansão da gigante do setor de carona compartilhada no Oriente Médio, disseram pessoas a par do assunto.

O negócio pode avaliar a Careem em US$ 2 bilhões a US$ 2,5 bilhões, disseram as pessoas, que pediram para não serem identificadas porque as negociações são privadas. As negociações estão em andamento e a direção da Careem trabalha para convencer os acionistas da empresa de que o acordo é vantajoso, disseram as pessoas. A decisão final não foi tomada e as empresas ainda podem decidir não avançar com a transação, disseram.

"Acreditamos que a oportunidade da internet para consumidores na região é enorme e inexplorada", afirmou a Careem, em comunicado enviado por e-mail. "Nos últimos dois anos o restante do mundo começou a abraçar essa oportunidade e fomos abordados por diversos investidores estratégicos e financeiros. Nossa ambição continua sendo construir uma instituição tecnológica duradoura na região."

Um porta-voz da Uber preferiu não comentar.

A Uber e a Careem tiveram conversas preliminares em julho no sentido de combinar os serviços de carona compartilhada no Oriente Médio na esperança de acabar com a dispendiosa rivalidade na região, disseram pessoas a par do assunto na época. A Uber havia afirmado que queria ser dona de mais da metade da empresa combinada e também havia negociado a compra direta da Careem na ocasião, disseram as pessoas.

Um acordo com a Uber poderia impedir uma possível oferta pública inicial. A Careem havia negociado com investidores no início do ano para levantar US$ 500 milhões, possivelmente avaliando a empresa em cerca de US$ 1,5 bilhão antes de uma possível venda, disseram pessoas a par do assunto em maio. A empresa, que tem como apoiadoras a gigante japonesa do comércio eletrônico Rakuten e a fabricante de veículos alemã Daimler, foi avaliada em pouco mais de US$ 1 bilhão em uma rodada de financiamento de 2016, tornando-se uma das startups de tecnologia mais valiosas do Oriente Médio.

O CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, disse em conferência, em maio, acreditar que a empresa prevalecerá na Índia, no Oriente Médio e na África. "Acredito que seremos vencedores nesses mercados e que controlaremos nosso próprio destino", disse.

A Careem conta com mais de um milhão de motoristas e opera em mais de 100 cidades nos Emirados Árabes Unidos, no Catar, na Arábia Saudita, no Bahrein, no Líbano, no Paquistão, no Kuwait, no Egito, no Marrocos, na Jordânia, na Turquia, na Palestina, no Iraque e no Sudão, segundo seu website. O aplicativo permite que os clientes reservem corridas em carros, bicicletas, carrinhos de golfe, barcos e riquixás, e também o agendamento de entregas.

Repórteres da matéria original: Alex Barinka em New York, abarinka2@bloomberg.net;Matthew Martin em Dubai, mmartin128@bloomberg.net;Giles Turner em Londres, gturner35@bloomberg.net

PUBLICIDADE