PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Nova concorrente parece alter ego alemão da Tesla

Elisabeth Behrmann

20/12/2018 11h53

(Bloomberg) -- A mais nova concorrente alemã da Tesla é uma ágil startup com ambições globais, sem o peso dos carros de combustão e com uma avaliação elevada. E seu determinado fundador pretende desafiar a empresa de Elon Musk com um carro elétrico barato para as massas.

Criada por um professor de engenharia que tem no currículo o desenvolvimento e a venda de veículos elétricos de sucesso, a e.GO Mobile está acelerando a produção de um compacto movido a bateria que custará cerca de metade do valor do Tesla Model 3. Mas, diferentemente da pioneira da Califórnia, a fabricante alemã espera ganhar dinheiro desde o início.

"Eu precisava da Tesla como modelo", disse Guenther Schuh, fundador da e.GO e criador da van elétrica mais vendida da Europa, em entrevista dentro de sua fábrica, construída no espaço antes ocupado por uma antiga produtora de tubos de televisão em Aachen, na Alemanha, perto da fronteira com a França. "Por muito tempo nenhuma startup ou indivíduo entrou neste tanque de tubarões sozinho, então foi ótimo ver uma demonstração de como poderia funcionar."

O financiamento inicial da e.Go veio quando Schuh vendeu a StreetScooter, uma van elétrica básica, para a Deutsche Post em 2014. A operadora do correio alemão procurava um veículo elétrico acessível para entregas urbanas, e Schuh -- diretor de Engenharia de Produção da Universidade RWTH Aachen, uma das principais escolas técnicas da Alemanha -- desenvolveu um modelo básico, sem ar-condicionado nem rádio e com velocidade máxima de menos de 80 quilômetros por hora. O modelo teve um sucesso surpreendente e a Deutsche Post duplicou a capacidade da StreetScooter para 20.000 unidades por ano e está avaliando abrir o capital da unidade.

Além dos recursos da StreetScooter, a fornecedora alemã de automóveis ZF Friedrichshafen investiu 135 milhões de euros (US$ 154 milhões) na e.GO como parte de um projeto de desenvolvimento conjunto de um micro-ônibus autônomo. A startup recrutou o HSBC Holdings para levantar um total de até 300 milhões de euros para levar adiante o plano de expandir para quatro modelos -- um acordo que pode render um valor de mais de US$ 1 bilhão, transformando-a em um raro "unicórnio" alemão.

Enquanto a Tesla mira clientes de alto padrão e oferece desempenho semelhante ao dos carros esportivos, a e.GO adota uma tática utilitária. Seu primeiro modelo, o Life, é um carro de cidade simples que parece uma versão quadrada do Fiat 500. O modelo de quatro lugares é barato para um carro elétrico, mas oferece pouco além disso. Até o momento, a e.GO recebeu 3.200 pré-encomendas e não está aceitando mais nenhuma. As entregas começarão em abril e o plano é produzir 100.000 veículos por ano até 2022 -- nível de produção semelhante ao da Tesla no ano passado.

Apesar das grandes ambições, o sucesso da e.GO depende, fundamentalmente, de ganhar dinheiro com um carro elétrico barato o suficiente para compensar as desvantagens da autonomia limitada e dos longos tempos de recarga (até 9,8 horas no Life). Schuh sabe que está entrando em território desconhecido.

"Não conheço nenhuma fabricante de veículos que ganhe dinheiro com esta categoria de veículo", disse o professor. "Especialmente se eles são elétricos."