PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Carro de luxo do futuro pode ter faróis com lasers

Brett Berk

15/01/2019 14h59

(Bloomberg) -- A maioria das pessoas, quando liga os faróis do carro, não fica pensando que gostaria que eles fossem mais brilhantes. Mas Shuji Nakamura não é como a maioria das pessoas.

Ganhador do Prêmio Nobel, o cientista especialista em iluminação passou os últimos cinco anos desenvolvendo um sistema de iluminação baseado em lasers. Sua empresa, a SLD Laser, afirma que o novo design é 10 vezes mais brilhante do que as luzes de LED da atualidade e é capaz de iluminar objetos a um quilômetro de distância usando menos energia do que qualquer tecnologia atual. E, diferentemente de um farol normal, o laser poderia ser integrado aos sistemas de assistência ao motorista atuais e futuros.

À medida que os carros avançam rumo a sistemas semiautônomos mais avançados e poderosos, que dependem não apenas de computação em nuvem constante para a tomada de decisões, mas também de uma "visão" clara do que há adiante proporcionada por câmeras e sensores, a transmissão de luz e dados terá enormes implicações para a segurança dos motoristas. O laser da SLD também é capaz de transmitir dados por meio de Li-Fi -- que é semelhante ao Wi-Fi, mas utiliza luz e transmite dados com mais rapidez. A empresa ainda não desenvolveu essa capacidade plenamente, mas diz que o processo está em andamento.

Durante uma demonstração noturna na área recreativa de Apex OHV, nos arredores de Las Vegas, brincamos com lanternas construídas com a nova tecnologia. O feixe preciso iluminava facilmente as bordas escarpadas das montanhas distantes. Uma barra de luz montada em uma caminhonete off-road expôs brilhantemente os sulcos das ondulações do terreno, das colinas arenosas e das camadas de cascalho durante uma enorme explosão no deserto.

Toda essa luminosidade leva a uma pergunta óbvia: como esses dispositivos, que têm a potência aproximada dos holofotes Klieg normalmente vistos do lado de fora nas estreias mundiais do cinema, podem ser instalados com segurança na parte da frente de um carro sem cegar inadvertidamente os veículos que vêm na direção oposta?

"Devido à natureza pontual da fonte do feixe, é possível direcionar a luz", disse Nakamura. "É possível até mesmo moldá-lo dinamicamente no momento para que o feixe vá para baixo ou para a direita, longe dos olhos dos motoristas."

Os novos faróis a laser começarão a aparecer neste ano como equipamentos originais de alguns veículos na Europa -- entre eles os BMWs Série M e Série 5 --, mas podem demorar anos para chegar aos EUA.

A empresa também está desenvolvendo produtos para veículos off-road, para luzes automotivas internas e para luzes diurnas.Nesse ínterim, a Nakamura licenciará a tecnologia para outros produtos do mercado americano: iluminação doméstica, iluminação de estádios, fotografia e aplicações em aventura, para citar alguns. Mas ele tem certeza de que as luzes de laser acabarão triunfando, assim como os LEDs. "Em breve, o laser se tornará a opção premium", disse Nakamura. "E em determinado momento acabará encontrando o caminho no mercado de massa."