PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Porcos não voam, mas suas `asas' são sucesso delicioso nos EUA

Leslie Patton e Lydia Mulvany

21/01/2019 12h58

(Bloomberg) -- Não, os porcos não têm asas, mas isso não impede os restaurantes dos EUA de vendê-las.

Embora as asas de frango sejam há muito tempo um alimento tradicional nos dias de jogo de futebol americano, asas que não são realmente asas estão prestes a se tornar uma surpreendente estrela no Super Bowl deste ano já que redes como Pizza Hut e Hooters estão apostando em proteína barata. Asas de frango desossadas - geralmente feitas de carne de peito - vêm ganhando espaço nos cardápios há anos, e agora estão surgindo as "asas de porco". Os restaurantes estão descobrindo que os americanos anseiam por lanches práticos e pouco tradicionais, e as asas que na verdade não são asas parecem se adequar perfeitamente à essa preferência.

O pub e restaurante Flo & Santos, no bairro de South Loop, em Chicago, pode comprovar esse apelo. As asas de porco estão no cardápio desde a inauguração do lugar, há oito anos. Os chefs servem as "asas de porco voador" em molho buffalo, barbecue ou teriyaki, e cinco unidades custam US$ 14.

"Elas vendem muito. É algo único, algo que você pode compartilhar", disse a gerente geral Nicki Piersanti. "Asas de porco - é engraçado, porque porcos não voam."

Kathleen Hoffman, chef da distribuidora de restaurantes US Foods Holding, concorda com o sentimento e cita "uma forte tendência com a geração do milênio". Sua empresa vende asas de porco, ou cortes de perna conhecidos como "panturrilha", para restaurantes há cerca de três anos, e elas estão ganhando força.

Embora as vendas ainda sejam inferiores às de frango, "as asas de carne de porco podem ter um papel importante" em 2019, disse Hoffman, observando que elas facilmente assumem perfis de sabor de culinárias como a coreana, a tailandesa e a chinesa.

Proteína

No momento, os EUA estão repletos de carne: a produção nacional de frango e porco bateu um recorde, mas a demanda externa está diminuindo devido à guerra comercial do presidente Donald Trump. Os preços de varejo da carne de peito de frango desossada, geralmente usada para fazer asas desossadas, caíram pelo quarto ano consecutivo em 2018.

A carne suína está seguindo a mesma tendência, e os preços de cortes no varejo caíram 17 por cento desde 2014.

"De modo geral, há muita proteína no país agora", disse David Maloni, vice-presidente executivo de análises para a ArrowStream, uma consultoria de cadeia de abastecimento de alimentos. "As pessoas estão tentando criar novos itens para o cardápio com as asas."

'Parte fundamental'

Há dois anos, Hooters of America vendia asas de porco com um molho barbecue doce e picante por US$ 10,99. A rede de bares e restaurantes afirma que está considerando vendê-las novamente neste ano por um tempo limitado. O Bar Louie, que tem 135 unidades nos EUA, adicionou "asinhas de porco" a seu cardápio no final do ano passado.

A Pizza Hut, por sua vez, está anunciando as asas de frango desossadas - que não são asas de verdade, é claro - que foram adicionadas ao cardápio de US$ 5 em outubro. O Super Bowl é o maior dia de vendas do ano para a rede, e a empresa projeta resultados superiores aos do ano passado, disse Marianne Radley, diretora de marca, em entrevista. Uma grande parte disso, claro, deve-se às asas.

"Quando se pensa em dar uma festa no Super Bowl e assistir ao Super Bowl, as asas são uma parte fundamental", disse ela.

--Com a colaboração de Millie Munshi e Shruti Date Singh.

Repórteres da matéria original: Leslie Patton em Chicago, lpatton5@bloomberg.net;Lydia Mulvany em Chicago, lmulvany2@bloomberg.net

PUBLICIDADE