PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Nissan é investigada pela SEC após prisão de Ghosn: Fontes

Neil Weinberg, David Voreacos e Matthew Campbell

28/01/2019 15h20

(Bloomberg) -- A Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês) está investigando se a Nissan Motor informou com precisão a remuneração de seus executivos nos EUA, de acordo com várias pessoas a par do assunto, o que agrava os problemas da fabricante de veículos em um momento em que a empresa enfrenta as consequências da prisão do ex-presidente de seu conselho, Carlos Ghosn.

O órgão regulador financeiro dos EUA está examinando se as declarações da Nissan sobre a remuneração de executivos foram exatas e se a fabricante de automóveis tinha controles adequados para impedir pagamentos impróprios, disseram as pessoas, que pediram anonimato porque a investigação não foi divulgada publicamente.

A Nissan, em resposta a perguntas, confirmou que recebeu um inquérito e afirmou que está cooperando plenamente. Por meio de uma porta-voz, Kristina Adamski, a empresa afirmou que não podia dar mais detalhes. As ações da Nissan caíram 0,8 por cento no trading em Tóquio, o maior declínio em três semanas.

A investigação da SEC intensifica o escrutínio em torno da segunda maior fabricante de veículos do Japão e de seus executivos depois que as autoridades japonesas prenderam Ghosn e outro diretor da empresa, Greg Kelly, em novembro. Ambos os homens foram indiciados pelas acusações de que Ghosn não declarou dezenas de milhões de dólares de sua renda na Nissan. A fabricante de automóveis - cuja principal acionista é sua aliada na parceria, a francesa Renault - também foi indiciada, medida que permite aos promotores do Japão apresentar acusações formais.

Ghosn e Kelly foram presos após meses de investigação interna na Nissan, que revelaram, segundo a empresa, crimes financeiros cometidos por Ghosn. Ambos os homens negam qualquer irregularidade.

Investigação

A investigação da SEC, lançada da sede da agência em Washington, analisa se falhas nas declarações da Nissan sobre a remuneração de seus executivos infringiram a lei de valores mobiliários dos EUA, disse uma das pessoas. O trabalho do órgão regulador foi desacelerado pela paralisação parcial do governo dos EUA, que durou mais de um mês, disse outra pessoa.

O inquérito civil da SEC está apenas começando e pode não apontar para algum crime, mas ele acrescenta uma camada de complexidade para a Nissan e para os dois ex-executivos. A SEC, que costuma trabalhar estreitamente com autoridades policiais, poderia aplicar multas financeiras e medidas liminares para impedir a violação de leis ou normas da SEC.

John Nester, porta-voz da SEC, preferiu não comentar.

Aubrey Harwell Jr., advogado de Kelly, disse que seu cliente não recebeu nenhuma intimação da SEC e preferiu não fazer mais comentários. Representantes de Ghosn nos EUA e no Japão preferiram não comentar.

Em memorando enviado ao pessoal no mês passado, o CEO da Nissan, Hiroto Saikawa, que sucedeu Ghosn no cargo, disse que enganos na governança corporativa da empresa "permitiram que a situação continuasse, o que claramente exige uma reflexão séria".

--Com a colaboração de Craig Trudell, Kae Inoue e Matt Robinson.

Repórteres da matéria original: Neil Weinberg em N York, nweinberg2@bloomberg.net;David Voreacos em Newark, dvoreacos@bloomberg.net;Matthew Campbell em Londres, mcampbell39@bloomberg.net