PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Hip-Hop é grande vencedor do Grammy pela primeira vez

Lucas Shaw

11/02/2019 12h05

(Bloomberg) -- O grande vencedor do Grammy Awards na noite de domingo não estava presente.

Childish Gambino, o alter ego musical do ator Donald Glover, recebeu os prêmios de Disco do Ano e Canção do Ano, o primeiro artista de hip-hop a ganhar essas categorias. No entanto, Gambino não compareceu ao evento, e coube ao coautor sueco falar sobre uma vitória marcante para um gênero dominado por artistas negros.

"Sinto que este é um momento significativo", disse Ludwig Göransson, o compositor que coescreveu "This is America". "Essa música fala para tanta gente. Fala sobre injustiça. Celebra a vida. Ao mesmo tempo, ela une as pessoas."

Göransson não explicou por que Glover não estava presente, mas personagens do setor passaram a semana toda especulando se artistas proeminentes de hip-hop compareceriam. Drake, Kendrick Lamar e Childish Gambino recusaram os convites para se apresentar, segundo o New York Times.

À medida que o R&B e o hip-hop suplantavam o rock como o gênero mais popular nos EUA, a Academia de Gravação demorou a reconhecê-los. Até a noite passada, um artista de hip-hop nunca tinha vencido as categorias de música ou disco do ano nos quase 60 anos de história do Grammy, e 15 anos se passaram desde a última vez que um artista de hip-hop levou o prêmio de álbum do ano. Outkast venceu a categoria em 2004 com "Speakerboxxx/The Love Below".

Erros do passado

O marco do hip-hop foi um dos muitos esforços que a academia fez para corrigir seus erros do passado. Também concedeu dois dos quatro prêmios principais para mulheres, um ano depois de a premiação ter sido criticada por não honrar artistas do sexo feminino.

A estrela pop britânica Dua Lipa foi nomeada melhor artista nova, e a cantora country Kacey Musgraves levou o prêmio de álbum do ano com "Golden Hour". Cardi B também se tornou a primeira artista solo mulher a ganhar o prêmio de álbum de rap do ano.

"Acho que este ano nós realmente melhoramos o desempenho", disse Lipa ao receber seu prêmio, depois de elogiar o grande grupo de colegas mulheres indicadas.

No ano passado, em meio ao movimento #MeToo, apenas uma artista do sexo feminino ganhou um prêmio solo durante a transmissão. Além disso, Lorde, cantora e compositora nascida na Nova Zelândia, foi a única entre os indicados a álbum do ano a não se apresentar.

Neil Portnow, chefe da Academia de Gravação, inflamou a situação quando pediu às mulheres que "melhorem o desempenho". Em junho passado, ele anunciou planos de pedir demissão após a premiação deste ano, mas disse que a decisão não tinha nada a ver com a controvérsia.

Embora o Grammy continue sendo o principal evento do calendário da indústria musical, a transmissão do espetáculo tem tido dificuldade para cativar os espectadores em uma época em que os fãs da música podem ter acesso a canções e vídeos em seus telefones. A audiência da transmissão caiu 24 por cento e atingiu o patamar mais baixo em nove anos no ano passado.