PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Tata estuda opções para unidade Jaguar Land Rover: Fontes

P R Sanjai, Ruth David, Tommaso Ebhardt e David Welch

01/03/2019 12h36

(Bloomberg) -- A Tata Group estuda opções estratégicas para a unidade Jaguar Land Rover Automotive, incluindo uma possível venda de ações da fabricante de automóveis de luxo que passa por dificuldades, disseram pessoas familiarizadas com o assunto.

O maior conglomerado da Índia estuda diversas alternativas, desde a venda de uma participação minoritária até a busca de um parceiro de risco para desenvolver veículos em conjunto e reduzir os custos, disseram as pessoas, que pediram anonimato porque as discussões são privadas. A empresa está na fase inicial de negociações com possíveis assessores e as deliberações podem não resultar em nenhuma transação, disseram as pessoas a par do assunto.

Pouco mais de uma década após adquirir as marcas Jaguar e Land Rover, o negócio deixou de ser a joia da coroa e virou um fardo, situação que culminou no maior prejuízo corporativo da história da Índia, no mês passado, quando a Tata reduziu drasticamente o valor do ativo. A Jaguar Land Rover foi duramente atingida pela queda nas vendas na China, pelo distanciamento em relação aos motores a combustão e a diesel e pelos fortes laços históricos da marca com o Reino Unido, onde a preocupação com um Brexit disruptivo tem reduzido a demanda e levado algumas marcas a transferir a produção.

"Não há nenhuma verdade nos rumores de que a Tata Motors está tentando vender sua participação na JLR, e preferimos não fazer mais nenhum comentário a respeito de especulações do mercado", informou a Tata Group, em comunicado enviado por e-mail. Uma porta-voz da Jaguar Land Rover preferiu não comentar sobre as intenções da Tata para o negócio.

A empresa estaria relutando em abrir mão do controle e pode preferir buscar novas participações de investidores, como um parceiro estratégico ou um fundo soberano, disseram algumas pessoas.

Os problemas da Jaguar Land Rover aumentaram nos últimos meses. As vendas na China continuaram caindo e a Jaguar Land Rover anunciou em janeiro que demitirá 10 por cento dos funcionários devido à demanda incerta e às incertezas em torno do Brexit. A Tata Motors realizou uma baixa contábil de 3,1 bilhões de libras (US$ 4,1 bilhões) no valor da divisão.

"O Reino Unido continua sendo o mercado mais importante para a JLR, e esse mercado enfrenta muitos problemas por causa do Brexit", disse Deepesh Rathore, diretor da Emerging Markets Automotive Advisors em Londres. "Com tantos obstáculos, a JLR precisa de enormes investimentos para se preparar e aproveitar a próxima virada do mercado."

A Jaguar Land Rover anunciou no mês passado que busca fontes alternativas de financiamento porque não estão dadas as condições para pedir empréstimo no mercado de títulos. A fabricante do sedã Jaguar XE e do SUV Land Rover Discovery precisa levantar US$ 1 bilhão em 14 meses para substituir títulos que estão por vencer e também está gastando dinheiro em um programa de investimentos em carros elétricos.

--Com a colaboração de Irene García Pérez.

Repórteres da matéria original: P R Sanjai em Mumbai, psanjai@bloomberg.net;Ruth David em London, rdavid9@bloomberg.net;Tommaso Ebhardt em Milão, tebhardt@bloomberg.net;David Welch em Southfield, dwelch12@bloomberg.net