PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

App de entrega supera Uber por deixar sauditas pechincharem

Vivian Nereim

21/03/2019 12h57

(Bloomberg) -- Digitar seu pedido na Mrsool é apenas o começo do que tornou o aplicativo saudita de entrega mais popular no reino do que Uber e Facebook.

A experiência que se segue recria a negociação de um mercado tradicional. Depois que o cliente escolhe os itens de uma loja ou restaurante, os mensageiros fazem propostas para efetuar a entrega, oferecendo cobrar pelo serviço um preço dentro de determinada faixa, que os compradores podem recusar se acharem o valor caro demais. A negociação pode continuar enquanto o mensageiro compra e entrega o pedido, conversando e compartilhando fotografias ou mensagens de voz.

"As pessoas gostam de fazer negócios conversando com outras pessoas", disse Abdulrahman Tarabzouni, CEO da STV, um fundo de capital de risco de US$ 500 milhões fundado pela Saudi Telecom que recentemente participou da primeira rodada de financiamento da Mrsool.

Criada em 2015, a Mrsool recorreu às peculiaridades do mercado saudita em um momento em que a economia passava por uma grande transformação. Embora o setor privado tenha tido dificuldade para se adaptar aos esforços do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman para afastar o reino do petróleo, o comércio eletrônico deslanchou em um país viciado em smartphones, à medida que os hábitos de compra mudam e os consumidores buscam ofertas na internet.

Ao mesmo tempo, enquanto os sauditas repensam seus orçamentos domésticos devido a mudanças políticas, como um imposto sobre valor agregado e cortes nos subsídios à energia, mais pessoas estão tentando ganhar algum dinheiro extra em seu tempo livre trabalhando como motoristas ou entregadores.

Toque diferente

Mas é o toque pessoal que a Mrsool concedeu ao negócio de varejo móvel que deu impulso a seu rápido crescimento, com 4 milhões de usuários registrados, 150.000 entregadores e 1 bilhão de riais (US$ 270 milhões) em transações processadas só no ano passado. A App Store da Apple classifica o aplicativo entre os 30 downloads mais populares na Arábia Saudita, vários degraus acima do Facebook e da Uber.

Um concorrente do serviço de entrega, como Uber Eats, que não está nem no top 100, oferece uma interface mais impessoal na qual os clientes pedem comida selecionando itens em um cardápio.

Os fundadores da Mrsool, Ayman Alsanad e Naif AlSamri, que têm menos de 40 anos, completaram recentemente uma rodada de financiamento de vários milhões de dólares, na que receberam dinheiro da STV, bem como da empresa local Raed Ventures e do investidor saudita Mazen Al-Jubeir. Alsanad preferiu não dizer exatamente quanto capital foi levantado.

A expansão internacional é o próximo passo. Alsanad disse que a Mrsool quer usar o dinheiro arrecadado na rodada de financiamento para crescer regionalmente, começando pelo Bahrein, que se conecta à Arábia Saudita por uma ponte.

"O objetivo é cobrir todos os países do Conselho de Cooperação do Golfo" e depois outros mercados no Oriente Médio, disse ele. "A joia da coroa seria o Egito, porque o Egito está muito acostumado com o serviço de entrega."