PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Glencore se torna cliente número 1 da Codelco

Jack Farchy e Laura Millan Lombrana

09/04/2019 11h52

(Bloomberg) -- Como prova do peso da Glencore no mercado global de cobre, basta olhar a lista de clientes da Codelco, maior mineradora do mundo.

A gigante das commodities foi de longe a maior compradora da Codelco no ano passado, segundo uma análise da Bloomberg dos dados da produtora estatal chilena de cobre. A parceria com a Codelco é valorizada por operadores pois a empresa vende em grandes volumes e seu cobre tem forte procura entre clientes de mercados-chave, como China e Japão.

A Glencore dobrou os volumes de comércio de cobre nos últimos seis anos, para 4,5 milhões de toneladas em 2018. Nos últimos anos, a empresa entrou com força no mercado chinês, segundo operadores, desafiando concorrentes como Red Kite e Trafigura. Também compra volumes significativos de concentrados de cobre da Codelco para suas próprias operações de fundição.

"A estratégia da Glencore para o cobre depende da premissa de que a demanda por cobre deve aumentar significativamente", disse Jean-François Lambert, ex-banqueiro de comércio do commodities do HSBC Holdings e consultor do setor. "Uma escassez da oferta está a caminho nesse contexto."

Em 2018, as compras da Glencore responderam por 11% da receita total da empresa chilena, com as unidades suíça e chilena representando US$ 1,56 bilhão das vendas da Codelco.

"A Glencore é a maior empresa de fundição do mundo, com 1,3 milhão de toneladas de cobre refinado, e é cliente da Codelco na comercialização de cobre não refinado", disse um representante da Codelco em e-mail com respostas a perguntas, mas sem dar detalhes sobre o aumento das vendas para a Glencore. Um porta-voz da Glencore não quis comentar.

No ano passado, a Codelco começou a assinar contratos com clientes que incluíam condições especiais, dando flexibilidade à mineradora estatal para fornecer cobre refinado, concentrado ou blisters. Em dezembro, a capacidade de refino da Codelco foi reduzida depois que a empresa foi obrigada a fechar duas de suas quatro fundidoras devido a atrasos para modernizá-las e assim atender a regras ambientais mais rígidas. As fundidoras nas minas Chuquicamata e Salvador permanecem fechadas e as operações devem ser retomadas nas próximas semanas.

O crescimento do comércio de cobre da Glencore ocorre em meio a uma mudança no comando da unidade do metal. Telis Mistakidis, um dos principais acionistas da empresa e que era responsável pela divisão desde 2002, se aposentou no final do ano passado, e Nico Paraskevas assumiu a unidade.

"O que foi visto como uma grande mudança o comando quando Telis saiu, no fim das contas pode não ser tão problemático", disse Lambert.

--Com a colaboração de Mark Burton.

Repórteres da matéria original: Jack Farchy em Londres, jfarchy@bloomberg.net;Laura Millan Lombrana em Santiago, lmillan4@bloomberg.net