PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Nova proposta da Regra Volcker sinaliza vitória para Wall Street

Jesse Hamilton e Ben Bain

25/04/2019 15h23

(Bloomberg) -- Em uma vitória para os bancos de Wall Street, o mais recente esforço para reformular a Regra Volcker no período pós-crise financeira está a caminho de uma definição mais específica e mais clara sobre quais tipos de operações são proibidas, disseram pessoas com conhecimento do assunto.

Representantes de agências reguladoras indicados pelo presidente Donald Trump fizeram no ano passado uma primeira tentativa de reduzir as restrições sobre transações impostas pela Regra Volcker, criadas para impedir ameaças ao sistema financeiro. No entanto, banqueiros criticaram a reforma, argumentando que as medidas poderiam dificultar ainda mais a compra e venda de valores mobiliários. Em resposta às críticas, reguladores estão agora focados em eliminar o elemento-chave da proposta de 2018, chamada de "accounting prong", que determinaria quais operações seriam proibidas.

Um método menos oneroso embutido na Regra Volcker original tornou-se o substituto preferido para o teste contábil, disseram três pessoas que pediram para não serem identificadas porque as mudanças não foram finalizadas. Representantes do alto escalão das cinco agências federais, encarregados de revisar a Regra Volcker, se reuniram em 16 de abril para discutir a nova proposta, segundo as fontes. A mudança seria uma clara vitória para os grandes bancos, que têm feito lobby para enfraquecer a Regra Volcker desde sua inclusão na lei Dodd-Frank, em 2010.

Porta-vozes das agências federais envolvidas não quiseram comentar.

A regra original tinha como objetivo evitar que bancos com seguro de depósito garantido pelo governo federal sofressem grandes perdas com operações, como ocorreu antes da crise financeira de 2008. Batizada com o nome de seu defensor, o ex-presidente do Federal Reserve Paul Volcker, a regra proíbe transações proprietárias - a prática de bancos que apostam nos mercados com capital próprio. As operações são autorizadas se executadas em nome dos clientes.

Mas os que se opõem à regra dizem que a confusão sobre quais operações de curto prazo são permitidas deixaram os bancos muito cautelosos, levando a uma redução de certos ativos que - segundo pesquisas muito questionadas - poderia enxugar a liquidez quando os mercados estão sob estresse.

Conseguir diminuir o impacto da Regra Volcker sobre Wall Street tem sido uma das prioridades do secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, e de outros representantes do governo. Embora não esteja claro quanto tempo isso pode levar, reescrever a proposta apresentada no ano passado pode atrasar o processo em vários meses.

Para contatar o editoras responsável por esta notícia: Marisa Castellani, mcastellani7@bloomberg.net;Patricia Xavier, pbernardino1@bloomberg.net

Repórteres da matéria original: Jesse Hamilton em Washington, jhamilton33@bloomberg.net;Ben Bain em Washintgon, bbain2@bloomberg.net

PUBLICIDADE