PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Rival chinesa do Starbucks acelera expansão com queima de caixa

Daniela Wei

20/05/2019 09h25

(Bloomberg) -- Para a equipe da Luckin Coffee, a estratégia bem-sucedida no mercado de aluguel de carros também poderia funcionar vendendo café. A queima de caixa de US$ 130 milhões - e a dominância do rival Starbucks no mercado chinês de café - pode ser uma aposta arriscada.

Por enquanto, investidores americanos parecem bastante impressionados com o agressivo plano de expansão da Luckin, com sede em Xiamen, que levantou US$ 561 milhões em seu IPO na quinta-feira, acima do esperado. As ações subiram 20%, para US$ 20,38, no pregão de sexta-feira em Nova York, em um dia de perdas para o S&P 500.

Reinhaca Schakel, diretor financeiro da empresa, disse que está satisfeito com a estreia na bolsa.

"Subir é sempre melhor do que cair", disse em entrevista.

A startup chinesa tenta ganhar mercado do Starbucks abrindo mais unidades no prazo de dois anos do que o total de cafeterias aberto pela gigante do setor em 20 anos. O que está em jogo é um mercado de US$ 5,8 bilhões, onde o consumo de café está apenas engatinhando e tem potencial para crescer.

Para atingir a meta, o presidente do conselho da Luckin, Lu Zhengyao, e o presidente da empresa, Qian Zhiya, estão adotando a mesma estratégia usada para a CAR há mais de uma década: queimar caixa dos investidores para ganhar rapidamente participação de mercado dos rivais. A tática pode ser comum para uma startup chinesa de Internet, mas é rara para uma empresa de bebidas.

As barreiras para a entrada no mercado de aluguel de carros são muito maiores do que os obstáculos para servir um café rápido e de forma conveniente. Mas, embora a aposta da Luckin seja sair na frente com a rápida expansão de sua rede de quiosques de entrega e pontos-de-venda em edifícios comerciais, atraindo chineses amantes da cafeína, nada impede que outras redes estabelecidas, como lojas de conveniência, ofereçam o mesmo.

"O setor global de alimentos e bebidas é totalmente competitivo com baixa fidelidade dos clientes, pois há muitas opções", disse Jason Yu, gerente-geral da Kantar Worldpanel, com sede em Xangai. "Os clientes não arcam com os custos da troca caso queiram mudar a marca de café ou apenas escolher outro tipo de bebida."

Com cotação de US$ 17 por ação, o IPO da Luckin está entre os dez maiores dos EUA este ano. A oferta superou estimativas iniciais de levantar cerca de US$ 300 milhões.

A Luckin, que tem a BlackRock entre seus principais investidores, registrou prejuízo líquido de US$ 241 milhões em 2018, já que as despesas operacionais superaram as receitas. A empresa disse que pode continuar a ter perdas no futuro. Schakel não revelou quando a Luckin começaria a dar lucro.

A empresa tenta atrair clientes com descontos generosos: novos clientes ganham um café grátis e seis cupons de desconto de 50%. O modelo funciona por causa da tecnologia da empresa, que ajuda a reduzir custos trabalhistas e outras despesas, disse Schakel.

--Com a colaboração de Craig Giammona e Lisa Wolfson.