PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Venezuelanos facilitam trabalho do banco central do Peru

John Quigley

22/05/2019 14h03

(Bloomberg) -- O fluxo inédito de migrantes venezuelanos no Peru pode ter ajudado a reduzir a inflação e a acelerar o crescimento econômico, segundo o banco central do país.

A chegada de centenas de milhares de venezuelanos desde 2017 poderia ter achatado os salários nos setores de varejo e serviços de Lima, capital do país, onde a maioria dos imigrantes conseguiu emprego, disse o banco central em relatório divulgado na terça-feira. Isso, por sua vez, teria diminuído os preços aos consumidores. Um exemplo é o custo das refeições, com um menor ritmo de aumento de preços de restaurantes em Lima em relação ao resto do país no ano passado.

O maior consumo registrado entre migrantes venezuelanos teria respondido por até 0,3 ponto percentual da expansão de 4% do PIB do Peru em 2018, disse o banco central, baseando seus cálculos nos dados de emprego e salário da Agência das Nações Unidas para as Migrações.

Milhões de venezuelanos migraram para países vizinhos nos últimos anos para escapar da repressão política e da desordem, fome e hiperinflação do regime de Nicolás Maduro. O Peru é o destino mais procurado depois da Colômbia, tendo recebido mais de 750 mil venezuelanos. Muitos encontraram trabalho em Lima como atendentes de loja, garçons e seguranças, muitas vezes substituindo mão de obra local. Os que correm maior risco de perder empregos para migrantes são trabalhadores menos qualificados nos setores de serviços e com menos de 39 anos, segundo o relatório.

A competição por empregos aumentou as tensões em Lima e em outros países. No início deste mês, o governo regional de Cuzco disse que iria adotar regras para punir empresas que demitam peruanos para contratar estrangeiros. O prefeito de Huancayo, localizada nos Andes a leste de Lima, prometeu "libertar" a cidade dos venezuelanos.

Embora os governos enfrentem o maior êxodo da história moderna da América Latina, o Banco Mundial assegura que os benefícios da imigração compensariam o aumento da demanda nos serviços públicos.