PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Nova ambição da Rússia: vender mais asas de frango na China

Anatoly Medetsky

23/05/2019 07h50

(Bloomberg) -- A ambição da Rússia de se tornar uma fornecedora global no mercado de carne de frango está um pouco mais perto de se concretizar com o vírus que tem dizimado plantéis de suínos na China.

Pela primeira vez desde a era soviética, a Rússia está exportando carne de aves para a China. O mercado de alternativas mais baratas à carne suína começa a se abrir, já que analistas dizem que a China pode perder 30% de seus porcos para a gripe suína africana. A medida pode significar um grande passo para o setor avícola russo, que quer se tornar um grande fornecedor para mais países.

Provavelmente levará tempo para desafiar de fato grandes exportadores como os Estados Unidos, Brasil e a União Europeia, mas a venda de asas de frango no mês passado pode ser um aviso de maior competição para exportadores com ambições de aumentar os embarques para a China. Depois de dobrar o processamento de carne de aves no mercado doméstico na última década, tornando-se a sexta maior produtora mundial, a Rússia já poderia atender algumas das demandas da China. Por exemplo, as exportações de frango da Rússia no ano passado foram equivalentes a um terço das importações chinesas.

"Esperamos que a China esteja entre nossos principais clientes", disse Andrei Terekhin, responsável pelo departamento do grupo russo Cherkizovo, que planeja começar a exportar carne de aves para a China em breve. "A situação é favorável para entrar no mercado."

As importações de carne de frango da Rússia ainda superam um pouco as exportações e, até o início desta década, o país não produzia carne de frango suficiente para fornecer o produto para a China. Mas, depois de seis anos de negociações - prejudicadas pelos surtos de gripe aviária na Rússia -, a China autorizou as importações no ano passado.

A China terá de importar mais carne de porco e outros tipos de carne após os surtos da gripe suína africana, que se espalhou para países vizinhos e provocou o abate de mais de 1 milhão de suínos. As importações de carne de frango do país devem dar um salto de 68%, para 575 mil toneladas este ano, segundo previsões do Departamento de Agricultura dos EUA.

Em comparação com o frango, as exportações de carne de porco da Rússia são ainda menores, mas o país também tem planos de começar a exportar esse tipo de carne para a China, Japão e Coreia do Sul. As conversas sino-russas continuam em andamento, mas a própria Rússia tenta controlar seus próprios surtos de gripe suína africana.

As vendas de frango na Rússia para a China podem representar um revés para processadoras de frango de outros países que estariam entre as beneficiadas pelo impacto do vírus. As ações da americana Pilgrim's Pride e da JBS subiram pelo menos 84% este ano em meio à expectativa de maior demanda, e os preços das coxas de frango dos EUA estão perto do maior nível desde 2017.

Por enquanto, pés de galinha e asas de frango da Rússia seriam os produtos mais fáceis de serem vendidos para a China com a demanda maior, disse Terekhin, da Cherkizovo.

"Já para as outras partes - coxas, carne escura - enfrentamos certa concorrência do Brasil, UE e de outros fornecedores", afirmou.