IPCA
0.11 Ago.2019
Topo

Cotações


Presidente do Banco Mundial seria favorita da França para FMI

25.jan.2019 - Kristalina Georgieva, presidente do Banco Mundial participa de painel no Fórum Econômico Mundial, em Davos (Suíça) - Arnd Wiegmann/Reuters
25.jan.2019 - Kristalina Georgieva, presidente do Banco Mundial participa de painel no Fórum Econômico Mundial, em Davos (Suíça) Imagem: Arnd Wiegmann/Reuters

Viktoria Dendrinou

29/07/2019 12h34

(Bloomberg) -- Kristalina Georgieva, presidente do Banco Mundial, seria a favorita da França para comandar o Fundo Monetário Internacional. A União Europeia busca chegar a um acordo em torno de um único candidato antes do prazo de 6 de setembro, segundo vários representantes europeus a par das negociações.

Uma primeira rodada de negociações conduzida pelo ministro das Finanças da França, Bruno Le Maire, que coordena a busca de um nome para a União Europeia, testou o apoio para cinco candidatos. Esses incluem a ministra da Economia da Espanha, Nadia Calvino, o ministro das Finanças de Portugal, Mario Centeno, o ex-ministro das Finanças holandês, Jeroen Dijsselbloem, a presidente do Banco Mundial, Kristalina Georgieva, da Bulgária, e o presidente do Banco da Finlândia, Olli Rehn.

As consultas no fim de semana causaram confusão sobre quais candidatos têm apoio suficiente para liderarem a disputa, destacando o complexo e sensível equilíbrio geográfico e político necessário para chegar a um acordo. Outras consultas estão programadas para segunda e terça-feira, em um esforço para chegar a um consenso até o fim da semana, disse uma fonte.

Na segunda-feira, duas autoridades haviam dito que a lista teria sido reduzida a três nomes, informação que foi negada pelo porta-voz do Ministério das Finanças francês.

Embora a França não tenha expressado abertamente seu apoio a Georgieva - ou a qualquer candidato -, autoridades francesas elogiaram sua indicação, tanto como forma de manter o posto nas mãos de uma mulher como para entregar um cargo de destaque aos novos membros do leste da UE.

O FMI disse em comunicado na semana passada que o processo de inscrição começaria em 29 de julho e terminaria em 6 de setembro. O conselho do Fundo pretende concluir o processo até 4 de outubro.

O FMI procura um substituto para Christine Lagarde, que renunciou este mês para comandar o Banco Central Europeu. Por tradição, o FMI, com sede em Washington, costuma ser liderado por um europeu.

O próximo líder deve enfrentar uma economia global com o ritmo de crescimento mais fraco desde o impacto da crise financeira. Na semana passada, o Fundo reduziu ainda mais sua projeção de crescimento global, que já era a menor desde a crise, para 3,2% este ano.

Mais Cotações