IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Rússia ganha poder entre produtores de petróleo e eleva reservas

Natasha Doff

12/08/2019 08h57

(Bloomberg) -- A mudança do equilíbrio de poder no mundo do petróleo começa a ficar evidente em um novo indicador: as reservas de bancos centrais.

Pela primeira vez em oito anos, o estoque total de dinheiro, ouro e outros títulos do Banco da Rússia está prestes a superar as reservas da Arábia Saudita, destacando a vantagem do Kremlin nas negociações entre grandes produtores de petróleo sobre o volume de corte da produção.

Enquanto a Arábia Saudita tem drenado suas reservas para cobrir gastos sociais em meio aos baixos preços do petróleo, a Rússia reforçou seu orçamento e está gerando superávits em meio a temores de novas sanções. Como a Rússia tem cada vez mais poder de decisão nas discussões com a Organização dos Países Exportadores de Petróleo, a vantagem financeira é o mais recente sinal da mudança da sorte entre grandes produtores.

"A Opep não pode mais ignorar a Rússia devido à sua importância como exportadora de petróleo e economia", disse Elina Ribakova, economista-chefe assistente do Instituto de Finanças Internacionais em Washington. "Os russos continuarão fazendo apenas o suficiente para trabalhar com os sauditas na produção de petróleo."

O preço do petróleo tipo Brent acumula queda de mais de 20% desde abril, para cerca de US$ 58 o barril, bem abaixo dos níveis que a maioria dos países da Opep, que incluem a Arábia Saudita, precisa para financiar os gastos dos governos. Em dezembro, o grupo e seus parceiros prometeram reduzir a produção diária, mas não está claro se a Rússia, o maior parceiro fora da Opep, estará disposta a cortar ainda mais a oferta. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, indicou que está satisfeito com os preços próximos aos níveis atuais.

As reservas da Rússia cresceram 45% nos últimos quatro anos, totalizando US$ 518 bilhões em junho. A Arábia Saudita segue a trajetória oposta: suas reservas caíram para US$ 527 bilhões até junho, já que o reino gasta as reservas acumuladas quando os preços do petróleo estão muito mais altos.

A diferença significa que a Rússia está prestes a ultrapassar a Arábia Saudita como a quarta maior em termos de reservas. O estoque da Arábia Saudita deve continuar caindo à medida que a guerra comercial pesa sobre o crescimento global e as cotações de petróleo.

Ainda assim, em outros indicadores, as finanças gerais da Arábia Saudita ainda são mais sólidas. Enquanto a Fitch Ratings melhorou a classificação da Rússia para o segundo nível mais baixo na escala grau de investimento na sexta-feira, todas as três agências de crédito ainda avaliam a Arábia Saudita pelo menos quatro níveis acima.

Para contatar a editora responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Economia