PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Mais diretoras resultam em maiores dividendos, diz pesquisa

Cormac Mullen

24/09/2019 07h21

(Bloomberg) -- Investidores que vivem de renda agora têm uma razão egoísta para exigir maior diversidade de gênero nos conselhos corporativos: o resultado são dividendos mais altos.

Essa é a conclusão de acadêmicos, como Chen Xiao, da Universidade Chinesa de Hong Kong, em Shenzhen, que encontraram uma relação positiva significativa entre a diversidade de gênero dos conselhos de administração e a probabilidade e o nível de pagamento de dividendos. Os resultados foram publicados na edição de outubro do Journal of Corporate Finance.

"Usando várias medidas de diversidade de gênero no conselho, nossos resultados geralmente apoiam a proposição de que um conselho com diversidade de gênero tem mais chances de pagar dividendos em comparação com um conselho de um só gênero, formado apenas por homens", escreveram. "Além disso, empresas com maior diversidade de gênero no conselho tendem a pagar dividendos maiores."

O artigo complementa a pesquisa que mostra os benefícios corporativos da diversidade de gênero. Empresas asiáticas com mais mulheres no conselho alcançaram melhores resultados financeiros do que aquelas dominadas por homens, segundo estudo do International Finance Corp. A Stanford Graduate School of Business identificou efeitos positivos no preço das ações devido à maior diversidade da força de trabalho.

As diretoras estão mais associadas à boa governança corporativa e mais inclinadas a promover os interesses de todos os acionistas, sugeriram os pesquisadores neste recente estudo com 8.876 empresas de 22 países entre 2000 e 2013. Essa abordagem promove o pagamento de dividendos, disseram.

"Estudos sugerem que os conselhos com diversidade de gênero têm maior probabilidade de tomar decisões bem fundamentadas e são mais propensos a promover os interesses dos acionistas", escreveram. Consequentemente, "estão mais inclinados a iniciar dividendos e estabelecer taxas mais altas de pagamento de dividendos".

O Índice Bloomberg Gender-Equality, um indicador de empresas globais reconhecidas pelas melhores políticas de diversidade, acumula alta de cerca de 19% este ano, superando o ganho de 15% do índice MSCI AC World.