PUBLICIDADE
IPCA
1,15 Dez.2019
Topo

Com investimento de US$ 1,9 bilhão, JBS acirra disputa com BRF

21.mar.2017 - Funcionário da JBS durante visita técnica do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, a fábrica em Lapa, no Paraná - Ueslei Marcelino/Reuters
21.mar.2017 - Funcionário da JBS durante visita técnica do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, a fábrica em Lapa, no Paraná Imagem: Ueslei Marcelino/Reuters

Tatiana Freitas

05/12/2019 16h08

A JBS, que já é a maior empresa de carnes do mundo, anunciou um plano de US$ 1,9 bilhão para crescer no Brasil. O investimento pode resultar em maior concorrência para a rival BRF.

A Seara, unidade de carne frango, suínos e alimentos processados da JBS, vai receber a maior parte do plano de investimentos para o país nos próximos cinco anos, disse o CEO Gilberto Tomazoni em entrevista na quarta-feira. Isso significa que a empresa será fortalecida e deve impor maior concorrência à BRF, a maior fabricante de alimentos processados do Brasil. A BRF é dona de marcas de grande valor agregado no país, como Sadia e Perdigão, e vende alimentos processados e prontos, de presunto a lasanha congelada.

A JBS e a BRF já competem no mercado de proteínas. Ambas conseguiram lucrar com a peste suína africana na China, o que se traduziu em uma demanda crescente pelas exportações de carne do Brasil. Mas o foco em produtos de valor agregado pode ajudar a garantir a expansão contínua da receita, mesmo depois que o impulso da peste suína desaparecer. Empresas do agronegócio e processadoras de carne têm feito ajustes nos últimos anos para evitar a volatilidade dos mercados de commodities.

Com a marca Seara, a JBS lançou este ano mais de 80 produtos e deseja elevar o investimento em inovação para aumentar sua participação de mercado. No mês passado, a empresa adquiriu o frigorífico Marba, especializado em frios e embutidos. Nesta semana, a JBS lançou uma linha de alimentos processados à base de plantas para o mercado brasileiro.

"A inovação tem sido um dos principais pilares da empresa", disse Tomazoni.

A BRF, que tinha uma fatia de cerca de 44% do mercado doméstico de alimentos processados no último trimestre, também aposta em novos produtos para crescer. A empresa planeja aumentar a receita proveniente de inovação para 10% do total em 2023 em relação a 3% este ano, disse o presidente da empresa, Lorival Luz, durante evento com investidores em 12 de novembro. No primeiro semestre de 2020, a BRF planeja lançar uma linha completa de produtos alimentícios à base de vegetais.

Economia