PUBLICIDADE
IPCA
1,15 Dez.2019
Topo

CVM rejeita acordo com Wesley e Joesley Batista sobre uso ilegal de jatinho

Andre Borges/FolhaPress
Imagem: Andre Borges/FolhaPress

Do UOL, em São Paulo

04/12/2019 12h23

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) rejeitou ontem a proposta de acordo com Joesley e Wesley Batista no caso que analisa o uso de uma aeronave da JBS pelos irmãos.

A proposta dos executivos contemplava o pagamento de R$ 150 mil por Joesley e R$ 200 mil por Wesley, sendo que o primeiro deles sugeriu o reembolso de aproximadamente R$ 140 mil à empresa.

O acordo, segundo o Comitê de Termo de Compromisso (CTC) da CVC, não seria conveniente e oportunido, visto a gravidade do caso, o histórico dos indivíduos envolvidos e o contexto por trás do uso do jatinho para fins particulares.

O colegiado da CVM acompanhou o comitê e rejeitou a proposta de acordo. Com a declinação, o caso deve ir a julgamento, embora ainda não há previsão de data.

Acusação

Diretor presidente da JBS, Wesley Batista foi acusado por não adotar os procedimentos e cautelas exigíveis na gestão da companhia, especificamente entre 2012 e 2016, pelo uso de aeronaves da empresa.

Além disso, o executivo foi acusado de praticar ato de liberalidade à custa da empresa ao liberar o jatinho para o irmão, Joesley, no dia 11 de maio de 2017 para fins pessoais.

Ambas as acusações infringem os artigos 153 e 154 da Lei das Sociedades Anônimas.

Economia