PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Brasil aumenta venda de café solúvel para o Sudeste Asiático

Fabiana Batista

16/12/2019 11h13

(Bloomberg) -- Maior exportador mundial de café solúvel, o Brasil está aumentando as exportações para o Sudeste Asiático, território de grandes rivais como o Vietnã.

Entre janeiro e novembro, o Brasil exportou 4,4% mais café solúvel para a região do que em todo o ano passado. Uma safra abundante de grãos do tipo robusta ? usados no café instantâneo no lugar de grãos arábica, que são mais caros ? e a desvalorização do real deram vantagem às exportações do país no último ano e meio.

No início de 2019, o preço da matéria-prima brasileira para produção de café instantâneo estava 5% abaixo do preço do Vietnã. Desde então, a diferença se ampliou para cerca de 15%, segundo Pedro Guimarães, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel (Abics).

"O setor não vai parar para manutenção no final deste ano, como costuma fazer", disse Guimarães, que também é diretor comercial da Cia. Cacique de Café Solúvel, com sede em São Paulo. "A demanda para exportação está muito aquecida devido ao mercado do Sudeste Asiático."

No Vietnã, maior produtor mundial de café robusta, as exportações diminuíram 3% entre 2018 e 2019. Enquanto isso, o Brasil, já dominante em café arábica, deve assumir a liderança em robusta, segundo o analista Carlos Mera, do Bankbook International de Londres, instituição conhecida pelas pesquisas agrícolas.

Os produtores brasileiros estão adotando rapidamente novas tecnologias que podem ajudar a aumentar a produção, segundo Mera.

Em Rondônia, as plantações de novas variedades do tipo robusta estão produzindo 200 a 300 sacas anuais por hectare, disse Mera. A irrigação disseminada também está aumentando a produção. Enquanto isso, o envelhecimento dos cafezais vietnamitas mantém a produtividade média próxima a 50 sacas por hectare, disse ele. Cada saca pesa 60 quilogramas.

O Sudeste Asiático é destino de cerca de 20% do café solúvel vendido pelo Brasil. Indonésia e Mianmar são os maiores compradores do produto brasileiro no Sudeste Asiático, de acordo com a Abics. Desde 2017, o volume de café solúvel enviado para esses dois países cresceu mais de 30% e 180%, respectivamente.

Em nível mundial, a projeção é que o Brasil venda 4 milhões de sacas este ano, superando o recorde de 3,9 milhões atingido em 2016, segundo a Abics.

--Com a colaboração de Marvin G. Perez.