PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Para setor com pior desempenho no S&P 500, saída é encolher

Jordyn Holman

30/12/2019 14h00

(Bloomberg) -- Depois de um ano difícil, lojas de departamento e varejistas de roupas dos Estados Unidos devem buscar uma retomada em 2020 fechando mais unidades, diminuindo as áreas das lojas e oferecendo mais experiências para atrair clientes - como alfaiataria tradicional e cafés modernos.

Ficou claro este ano que ambas as categorias perderam terreno devido à contínua migração de consumidores para a Amazon.com e outros concorrentes do comércio eletrônico. Enquanto varejistas tradicionais como Macy's e Gap investiram no comércio on-line e em uma melhor experiência nas lojas, ainda há dúvidas se isso será suficiente para recuperar a escala anterior.

Lojas de departamento tiveram o pior desempenho do setor no S&P 500 este ano. As ações da Macy e Gap, juntamente com os papéis da Kohl, L Brands e Nordstrom, registraram as maiores perdas do índice. A receita de muitas empresas diminuiu. Lojas de departamentos e varejistas de roupas perderam participação de mercado para concorrentes on-line e de desconto, como Ross Stores e TJX, proprietária da Marshalls e da TJ Maxx.

Enquanto isso, o apocalipse do varejo continua. Mais de 7.600 lojas fecharam este ano até outubro, um recorde para essa época do ano, segundo o Credit Suisse. E as perspectivas para 2020 não parecem muito positivas, disse o banco. Os problemas do setor são particularmente preocupantes devido à força do consumidor americano: se essas varejistas não conseguirem captar o crescimento enquanto os gastos estão em alta, o cenário pode piorar mais se ocorrer uma desaceleração econômica.

Menos lojas

David Swartz, analista do Morningstar Investment Service, disse que as lojas de departamento precisam encolher. A Macy's, por exemplo, não precisa de centenas de grandes lojas - especialmente em shoppings de menor porte que correm o risco de fechar. A JC Penney enfrenta o mesmo desafio, disse o analista.

A Macy's possui cerca de 640 lojas homônimas e tem fechado unidades gradualmente desde 2016. A JC Penney possui cerca de 850 unidades nos EUA e fechou algumas delas este ano.

Enquanto isso, a Gap planeja fechar cerca de 230 lojas à medida que reformula sua presença e se concentra mais nas marcas Old Navy e Athleta. A Abercrombie & Fitch também está fechando lojas próprias.

A revenda também deve levar varejistas para novos rumos. O mercado de roupas usadas pode crescer para US$ 32 bilhões em 2020, de acordo com pesquisa da GlobalData para a loja de descontos on-line ThredUp. O valor supera os US$ 28 bilhões em 2019.

--Com a colaboração de Kim Bhasin.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net