PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

Chevron e Exxon precisam mudar estratégia, dizem analistas

Kevin Crowley

03/02/2020 15h27

(Bloomberg) -- De ambientalistas a investidores, todos atacam os combustíveis fósseis, e as gigantes do setor de energia dos Estados Unidos Exxon Mobil e Chevron possuem abordagens cada vez mais divergentes enquanto tentam enfrentar a tempestade.

O problema é que nenhuma das estratégias está funcionando no momento.

A Exxon usa a desaceleração dos preços do petróleo, gás e produtos químicos como oportunidade para liberar seu gigante balanço para financiar uma série de megaprojetos em todo o mundo. A Chevron mantém a austeridade, a tal ponto que o CEO Mike Wirth admitiu que soa como um "disco riscado" repetindo um mantra de disciplina financeira.

As empresas divulgaram seus piores resultados dos últimos anos na sexta-feira, prejudicadas pelo fraco desempenho na maioria das linhas de negócios. A origem de muitos dos problemas atuais remonta à revolução do gás de xisto nos EUA, que em pouco mais de uma década reverteu a escassez doméstica de petróleo e gás e criou uma fonte aparentemente ilimitada de oferta, empurrando os preços da energia para baixo.

Exxon e Chevron também se tornaram para-raios na reação contra os combustíveis fósseis. À medida que aumenta a pressão da indústria para combater a mudança climática, investidores fogem cada vez mais do setor. A energia agora representa apenas 3,8% do índice S&P 500 comparado com 16% em 2008.

Ambas as empresas estão "competindo em um setor que destruiu sistematicamente valor para investidores na última década", disse Mark Stoeckle, gestor de fundos da Adams Funds, com sede em Boston e US$ 2,5 bilhões em ativos. "Vai levar tempo e resultados consistentes para convencer o público investidor" do contrário.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net