PUBLICIDADE
IPCA
0,25 Fev.2020
Topo

Tempestade perfeita sobre embarques globais vai passar, diz CEO

Krystal Chia

21/02/2020 09h25

(Bloomberg) -- A indústria marítima global se deparou com águas muito agitadas em 2020. A crise do vírus abala a China e os mercados de commodities, já afetados pela desaceleração sazonal e o mau tempo. Mas um executivo veterano que comanda uma frota de 55 navios diz que haverá recuperação.

"Isso, sem dúvida, é temporário", disse John Wobensmith, diretor-presidente da Genco Shipping & Trading. "Acreditamos em melhora no segundo semestre", disse o veterano do setor durante entrevista em Nova York, ao citar o potencial de estímulos na China para impulsionar a demanda, além da menor oferta de navios.

A emergência de saúde afetou os preços de diversas commodities como minério de ferro e soja e reduziu as tarifas de frete que já estavam sob pressão. Os navios de granel seco da Genco transportam minério de ferro, carvão e grãos, conectando minas e fazendas aos mercados que precisam de matérias-primas, como a maior economia da Ásia. O surto do vírus, que diminuiu a atividade em alguns portos chineses, se soma a outros desafios que afetam as taxas, de acordo com Wobensmith.

"O que o transporte a granel enfrenta não são tanto os problemas logísticos", disse Wobensmith, que trabalha no setor há mais de duas décadas. "Por causa do coronavírus, da sazonalidade e do clima, há uma tempestade perfeita, o que reduziu muito as taxas para navios maiores."

O índice Baltic Exchange Dry, um indicador da demanda por navios, despencou 55% em janeiro e atingiu o menor nível desde 2016 no início deste mês, quando o vírus se espalhou pela China e levou o governo a impor restrições às viagens e atividades industriais. As ações da Genco acumulam queda de 23% no ano.

Uma área específica de desaceleração no mercado de granel seco está no minério de ferro, a maior carga em volume. As fortes chuvas no Brasil nesta época do ano geralmente reduzem os fluxos. Além disso, um ciclone que atingiu a Austrália Ocidental neste mês provocou interrupções em alguns portos importantes.

Atividade mais lenta

"Continuamos a ligar para a China", disse Wobensmith, acrescentando que a Genco não teve nenhum navio desviado e que não há casos conhecidos de declarações de força maior no setor de granel seco. "A atividade portuária está mais lenta, com menos trabalhadores, mas acho que estão planejando para que tudo fique bem."

A China alimentou expectativas de que aumentará os gastos este ano para compensar o impacto do vírus, embora a BHP tenha alertado que as próximas seis semanas serão críticas. Os setores de construção e manufatura da China precisam normalizar as operações em abril para garantir que a interrupção existente possa ser compensada antes do fim do ano, disse a maior mineradora do mundo.

A Genco vê potencial para estímulos no segundo semestre, o que aumentaria a demanda por matérias-primas de siderúrgicas. Ao mesmo tempo, com mais navios inutilizados e nenhum pedido de novas embarcações em meio ao pessimismo, isso significaria menor oferta de navios quando a demanda aumentar, de acordo com Wobensmith. "O setor estará em uma situação mais forte", afirmou.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Economia