PUBLICIDADE
IPCA
-0,38 Mai.2020
Topo

Aramco faz preparativos para listagem no exterior: Fontes

Matthew Martin, Dinesh Nair e Ishika Mookerjee

27/02/2020 11h29

(Bloomberg) -- A Saudi Aramco dá largada aos preparativos para uma listagem internacional, meses depois de a gigante de petróleo ter concentrado a oferta pública inicial no mercado doméstico e deixado de lado bancos globais, disseram pessoas com conhecimento do assunto.

A maior empresa de capital aberto do mundo conversa com bancos de Wall Street para elaborar cenários para uma segunda listagem no exterior, segundo as pessoas, que não quiseram ser identificadas. A Aramco quer estar pronta se o governante de fato da Arábia Saudita, o príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, der luz verde para prosseguir com os planos, disseram as pessoas.

A empresa não estabeleceu um cronograma para a possível oferta, segundo as fontes. Atualmente, é improvável que uma listagem no exterior ocorra este ano devido às condições de mercado e à fraca perspectiva para os preços das commodities, segundo as pessoas.

A Aramco avalia uma oferta secundária mesmo depois de sua oferta de dezembro ter ficado aquém das elevadas ambições do príncipe Mohammed. A empresa vendeu menos de 2% de seu capital e optou por uma listagem local, pois investidores internacionais não aceitaram a meta de valuation de US$ 2 trilhões. Os mercados globais também sentem o peso do surto de coronavírus em meio às preocupações de propagação da epidemia em outros países além da China e impacto sobre os lucros das empresas.

Bolsas asiáticas

As ações da Aramco acumulam baixa de cerca de 5% este ano depois de o valor de mercado da empresa ter atingido brevemente a marca de US$ 2 trilhões em dezembro. O petróleo, que impulsiona a receita da empresa, teve um dos piores começos de ano e pode sofrer mais pressão pela propagação do vírus.

A produtora de petróleo atualmente está focada nas bolsas asiáticas como possíveis locais de listagem, embora nenhuma decisão final tenha sido tomada, disseram as pessoas. Alguns bancos que trabalharam no IPO de US$ 29,4 bilhões da Aramco no ano passado estão envolvidos nas discussões, segundo as fontes.

A Aramco não quis comentar.

Segundo uma cláusula do acordo descrita no prospecto da oferta, conhecida como "lock-up", o governo saudita não poderá vender outras ações da Aramco no período de 12 meses após a conclusão da oferta inicial, a menos que 30% dos coordenadores globais conjuntos do IPO estejam de acordo.

Para contatar o editor responsável por esta notícia: Daniela Milanese, dmilanese@bloomberg.net

Repórteres da matéria original: Matthew Martin Dubai, mmartin128@bloomberg.net;Dinesh Nair em Londres, dnair5@bloomberg.net;Ishika Mookerjee Singapore, imookerjee@bloomberg.net

Economia