PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

Custo global de pandemia pode alcançar US$ 8,8 trilhões, diz ADB

Siegfrid Alegado

15/05/2020 07h34

(Bloomberg) -- O custo da pandemia de coronavírus pode chegar a US$ 8,8 trilhões, ou quase 10% do PIB global, dependendo da evolução do surto e do alcance das respostas dos governos, de acordo com o Banco Asiático de Desenvolvimento (ADB, na sigla em inglês).

Um período mais curto de contenção de três meses, associado a fortes políticas, poderia limitar o impacto a US$ 4,1 trilhões, ou 4,5% do PIB mundial, disse o banco com sede em Manila em relatório na sexta-feira. A região da Ásia-Pacífico deve responder por cerca de 30% da queda do PIB global, segundo o relatório.

A análise "destaca o importante papel que as intervenções políticas podem desempenhar para ajudar a mitigar os danos às economias", disse o economista-chefe do ADB, Yasuyuki Sawada, em comunicado.

As novas estimativas de custos são mais do que o dobro da faixa de US$ 2 trilhões a US$ 4,1 trilhões divulgadas pelo banco de desenvolvimento em 3 de abril. Agora, são mais de 4 milhões de casos confirmados de coronavírus globalmente e as mortes superam 300 mil.

A instituição sugere reforçar os sistemas de saúde, bem como proteções para renda e emprego, com o objetivo de evitar que a recuperação seja ainda mais difícil. Medidas sustentadas dos governos podem amenizar o impacto econômico do vírus em até 40%, disse o ADB.

Entre 158 milhões e 242 milhões de empregos podem ser eliminados globalmente, sendo 70% deles na Ásia e no Pacífico, segundo o ADB. A região responde por uma parcela maior das demissões, pois o setor manufatureiro permanece intensivo em mão de obra, disse James Villafuerte, economista sênior do ADB, em entrevista na sexta-feira à Bloomberg TV. Na China, até 95 milhões de empregos podem ser eliminados, disse.Embora os setores de manufatura e hoteleiro sejam os mais atingidos, trabalhadores qualificados em outros segmentos também podem sofrer deslocamento temporário do emprego, disse Villafuerte.

Redução de salários

Com a queda do consumo e investimentos, os salários também devem diminuir globalmente, principalmente nos EUA e na Europa, disse o economista-chefe Sawada em apresentação on-line na sexta-feira."É um risco para a saúde e não é impulsionado por problemas econômicos de fundamentos", disse Sawada. "Políticas inteligentes de saúde e políticas de contenção são realmente a chave", explicou, citando medidas implementadas na Coreia do Sul e no Vietnã.

Restrições às viagens e confinamentos implementados para impedir a propagação do vírus devem encolher o comércio global entre US$ 1,7 trilhão para US$ 2,6 trilhões, disse o ADB.

©2020 Bloomberg L.P.

Economia