PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

AmEx vê maioria da equipe em trabalho remoto até final do ano

Jenny Surane

18/05/2020 13h29

(Bloomberg) -- O presidente da American Express, Steve Squeri, disse que a maioria dos funcionários da empresa trabalhará remotamente até o final deste ano, à medida que a companhia busca diminuir a propagação do coronavírus.

Embora a emissora da cartão de crédito com sede em Nova York queira estar preparada para ter metade de equipe na maioria dos locais até o final do ano, Squeri não espera que "chegue perto da marca de 50% até o final de 2020 ", disse em vídeo aos funcionários nesta segunda-feira.

"Vamos limitar o número de pessoas nos elevadores e agendar horários para chegadas e partidas", disse Squeri no vídeo. "E coberturas no rosto serão necessárias quando você estiver entrando e se movimentando pelo prédio."

Os 64.500 funcionários da AmEx estão espalhados por escritórios em todo o mundo, mas sua sede fica em Manhattan, o epicentro da pandemia nos EUA. A empresa também possui escritórios em Salt Lake City, Phoenix e Sunrise, Flórida, de acordo com documentos regulatórios.

O ambiente de trabalho da empresa será completamente diferente do que os funcionários deixaram no início deste ano, quando os casos do Covid-19 aumentaram nos EUA, disse Squeri.

"Se você pode trabalhar em casa e não quer ir ao escritório, não precisa", disse ele. "De fato, se você puder trabalhar em casa com eficiência, planeje fazê-lo pelo resto do ano."

Vida no escritório

A AmEx terá procedimentos para garantir que os funcionários não fiquem agrupados, disse Squeri na mensagem aos funcionários. A empresa não permitirá reuniões em salas de conferência e visitantes ou contratados não serão permitidos no edifício.

Os funcionários não terão permissão para permanecer na lanchonete, e a comida será entregue nos andares. A empresa também está otimizando seus sistemas de ar condicionado e aprimorando seus protocolos de limpeza. O desinfetante para as mãos estará prontamente disponível.

"A chave aqui é que o retorno ao escritório não acontecerá de uma só vez", disse Squeri. "Vamos abrir prédios local por local, andar por andar e colega por colega, pois cada local e andar é diferente."

A empresa prometeu não eliminar empregos este ano como resultado da pandemia. Ainda assim, planeja reduzir as despesas discricionárias em US$ 3 bilhões, uma das maiores iniciativas de corte de custos da história da companhia.

"Fizemos um ótimo trabalho ao sair de nossas instalações e administrar a empresa virtualmente", disse Squeri no vídeo. "Somos mais ágeis, flexíveis e menos burocráticos. Foi inspirador ver, e quero continuar assim."

©2020 Bloomberg L.P.

Economia