PUBLICIDADE
IPCA
0,36 Jul.2020
Topo

Japão estuda maneiras de entregar produtos sem contato humano

Nao Sano e Shiho Takezawa

03/07/2020 13h37

(Bloomberg) -- Transportar produtos com o mínimo de contato humano se torna um imperativo para empresas. Varejistas, depósitos e fornecedores de transporte se adaptam à pandemia de coronavírus, buscando minimizar o risco de infecção para funcionários e clientes.

A Tsubakimoto Chain observa maior demanda de empresas por seus sistemas de classificação e transporte de mercadorias. E a startup Hacobu vê oportunidade de aumentar o uso de sua plataforma online para caminhões trocarem informações enquanto carregam e descarregam produtos em armazéns, um processo que ainda é feito principalmente em papel.

A necessidade de automação é especialmente intensa no Japão, onde a falta de mão de obra já pressionava empresas a encontrarem maneiras de operar seus negócios com menos pessoas. Agora, essa transição está sendo estimulada pela pandemia, que aumentou as compras online e despertou o receio entre clientes sobre a possibilidade de infecção por itens entregues em suas portas. No total, o mercado de sistemas de logística de próxima geração no Japão deve dobrar para 651 bilhões de ienes (US$ 6 bilhões) entre 2018 e 2025, de acordo com a empresa de pesquisa Fuji Keizai.

"A demanda por sistemas sem humanos continuará crescendo", disse por e-mail Masafumi Okamoto, gerente de divisão da Tsubakimoto, com sede em Osaka. Mais famílias estão recorrendo ao comércio eletrônico para comprar bens de uso doméstico, e a fabricante está recebendo mais consultas por seus equipamentos automatizados, disse.

Ainda existem muitas áreas em que humanos são necessários nas instalações de logística. Se o número de funcionários nos depósitos for restrito para impedir a transmissão do patógeno da Covid-19, isso pode limitar as remessas e resultar em oportunidades de vendas perdidas, segundo Takeshi Kitaura, analista da Bloomberg Intelligence.

A Mujin, uma empresa que fabrica controladores de robôs industriais, disse que há interesse crescente por suas soluções. A automação logística agora é vista como uma maneira de se preparar para emergências, disse a porta-voz da empresa, Yuzuki Ishihara.

©2020 Bloomberg L.P.