Bolsas

Câmbio

Renault diz que não há indícios de manipulação em seus veículos após testes

  • Divulgação

Paris, 14 jan (EFE).- A montadora francesa Renault afirmou nesta quinta-feira (14) que não há provas da "presença de um programa de manipulação" em seus veículos, após os primeiros testes realizados pela direção de Energia e Clima, dependente do Ministério de Ecologia e Energia.

Ao mesmo tempo, a Renault confirmou em comunicado que a direção geral da Concorrência, o Consumo e a Repressão da Fraude (DGCCRF) revistou sua sede social e seus centros de Lardy e de Guyancort para "dar andamento a um complemento de investigação que permita validar definitivamente os primeiros elementos de análise" da comissão técnica independente.

O comunicado é a primeira reação da Renault após seu desabamento na Bolsa de Paris, entre suspeitas de uma possível fraude em suas emissões poluentes similar à da Volkswagen.

"A direção geral da Energia e do Clima, em nome do Ministério de Ecologia e Energia, interlocutor da comissão técnica independente, considera que o processo em andamento não evidência a presença de um programa de manipulação nos veículos Renault", disse a companhia, que o classifica de "boa notícia".

De acordo com essa mesma nota, a UTAC (União Técnica do Automóvel, a Motocicleta e a Bicicleta) "realiza teste atualmente em cem veículos em circulação, entre eles 25 Renault", e, no final de 2015, "11 veículos tinham sido testados, entre eles quatro Renault".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos