Bolsas

Câmbio

Bolsa de Milão suspende cotação de 5 bancos italianos

Roma, 28 jan (EFE).- A Bolsa de Valores de Milão suspendeu nesta quinta-feira a cotação das ações de cinco bancos italianos, dois dias depois que a Itália fechou um acordo com Bruxelas para a criação de um mecanismo que ajude os bancos do país contra o grande volume de empréstimos ruins que acumulam.

As ações do Banco Monte Paschi Siena tiveram sua cotação suspensa quando caíam 4,99%, enquanto as do Banco Popolare Emilia Romagna quando perdiam 4,95%.

Os títulos do Banco Popolare Milano perdiam 5,55% quando sofreu a paralisação de suas cotações, e os do Unicredit foi pelo menos caminho quando caíam 5,15%, assim como os do Ubi Banco, cotados a 5,25% em baixa.

Roma e Bruxelas chegaram recentemente a um acordo para a criação de um mecanismo que ajudará a reduzir os empréstimos ruins acumulados pelos bancos italianos, que segundo a agência de qualificação Fitch chegam a 200 bilhões de euros.

Embora ainda falte acertar os detalhes, a ideia principal é que a Itália não disporá de um "banco podre" único como tem a Espanha, mas haverá entidades separadas e administradas individualmente, às quais os bancos poderão entregar seus empréstimos de duvidosa cobrança.

Os bancos italianos estão sofrendo quedas há dias, depois que o Banco Central Europeu (BCE) solicitou a algumas entidades uma série de relatórios sobre os créditos de risco que possuem.

Em seu papel de supervisor bancário europeu, o BCE garantiu que se tratava de um procedimento "rotineiro", mas a decisão gerou desconfiança nos investidores e está provocando uma drástica queda das ações das entidades em Milão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos