PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Dow Jones fecha último pregão do ano em alta de 1,15%

31/12/2018 20h01

Nova York, 31 dez (EFE).- O índice Dow Jones Industrial fechou nesta segunda-feira em alta de 1,15%, no último pregão de 2018, o pior para a bolsa nova-iorquina desde a crise econômica de 2008.

Ao final do pregão, o principal indicador da Bolsa de Nova York somou 265,06 pontos, para 23.327,46. Já o seletivo S&P 500 subiu 0,85%, até 2.506,85, enquanto o Nasdaq Composite avançou 0,79%, para 6.635,28 pontos.

Todos os setores encerraram o pregão com lucros com o sanitário (1,39%), o de bens não essenciais (1,09%), o industrial (1,01%) e o financeiro (0,98%) marcando o ritmo.

Com a alta de hoje, Wall Street fecha duas semanas vertiginosas, com fortes baixas e dias de montanha-russa, que incluíram até um recorde de lucros durante o dia no Dow Jones.

Durante esse período, os principais índices das bolsas de valores dos EUA sofreram perdas que os puseram no caminho de seu pior desempenho em dezembro desde a Grande Depressão.

Nos últimos 12 meses, o Dow Jones recuou cerca de 5,6%, o S&P 500 perdeu 6,2% e o Nasdaq caiu 3,9%, as piores quedas desde 2008, quando os três índices perderam 33,8%, 38,5% e 40%, respectivamente.

No entanto, na despedida do ano, os investidores se viram esporeados pelo otimismo demonstrado este fim de semana pelo presidente americano, Donald Trump, sobre o andamento das negociações com a China para fechar um acordo que possa pôr fim à guerra comercial na qual as duas grandes potências estão imersas há meses.

Por sua parte, o presidente da China, Xi Jinping, manifestou seu desejo de que EUA e China "alcancem um acordo benéfico para ambos países e para o mundo o mais rápido possível".

Os temores de que estes contatos fracassem, quando deveriam amadurecer em um acordo antes de três meses, pesou sobre os investidores, preocupados também com o fechamento parcial do governo americano devido ao bloqueio dos orçamentos pelas desavenças entre democratas e republicanos e o medo de uma desaceleração da economia em nível mundial.

Dessa forma, os 30 valores do Dow Jones se despediam do ano também com lucros, com o Goldman Sachs (2,47%) registrando a maior alta, na frente de Walt Disney (2,19%), Boeing (1,93%), Verizon (1,72%) e Pfizer (1,61%).

Em outros mercados, a onça do ouro subiu para US$ 1.284,50, enquanto o rendimento do bônus do Tesouro em 10 anos recuava até 2,68%. EFE