Topo

Executivo da Nissan deixa cargo por conta do caso Ghosn

Em Tóquio

12/01/2019 04h10

O espanhol José Muñoz anunciou neste sábado (12) sua renúncia como alto executivo da Nissan Motor, por causa da investigação aberta contra o ex-presidente da empresa japonesa, o brasileiro Carlos Ghosn.

Muñoz, de 53 anos, anunciou esta decisão através do seu perfil na rede social profissional LinkedIn, após as informações publicadas por veículos de imprensa japoneses e americanos que poderiam ser afetadas pela investigação interna aberta pela Nissan e pelas autoridades japonesas sobre o "caso Ghosn".

O espanhol, considerado uma figura de confiança de Ghosn, ocupava o cargo de diretor-executivo de rendimento na companhia e desde janeiro de 2015 era responsável pelas operações na China, após comandar os mercados da América Latina e América do Norte.

"Minha decisão de deixar a Nissan foi tomada após muita reflexão e consideração cuidadosa. Infelizmente, a Nissan está atualmente envolvida em assuntos que têm tomado sua atenção e continuarão a desviar seu foco", disse Muñoz na sua mensagem.

"Como eu tenho repetido em várias ocasiões e deixei claro para a empresa, estou disposto a seguir ajudando a Nissan nas suas investigações", ressaltou o executivo.

A renúncia de Muñoz acontece depois que a promotoria do Japão ter apresentado ontem novas acusações formais contra Ghosn, que permanece preso Há quase dois meses, em Tóquio, por supostamente ter ocultos compensações multimilionárias às autoridades e outras irregularidades.

Mais Economia