Topo

Mídia e Marketing


Santander Brasil se compromete a ser banco "plastic free" até 2020

2019-02-20T18:45:00

20/02/2019 18h45

São Paulo, 20 fev (EFE).- O Santander Brasil anunciou nesta quarta-feira sua decisão de se transformar no primeiro banco "plastic free" do país, uma meta que pretende alcançar até 2020, de acordo com um comunicado da entidade.

O plano prevê, em um primeiro momento, "atacar" o consumo do plástico descartável, como copos de água ou café e garrafas e que representa 73% do total empregado anualmente pela instituição no Brasil, equivalente a 207 toneladas por ano.

O fim do uso do plástico descartável por parte do banco começará este ano pelas áreas administrativas e se estenderá por toda a rede, que conta com mais de 3.500 agências, até o final de 2020.

"É fundamental que organizações de grande porte, como a nossa, deem o exemplo para a sociedade e rompam a inércia que nos leva a utilizar no dia a dia soluções que são simples, mas insustentáveis no longo prazo", declarou José Paiva, vice-presidente executivo sênior da área de Meios do Santander Brasil, citado na nota.

O projeto foi desenvolvido por 13 profissionais do programa Young Leaders do banco e sua proposta inscreve-se dentro de um compromisso mais amplo da organização que já contribuiu para a redução do consumo de água, luz e papel nos últimos anos.

"Outra frente em que atuamos é o uso de energia renovável, que já representa 100% do consumo das agências de Minas Gerais e 70% no Rio de Janeiro", destacou, por sua parte, Karine Bueno, head de Sustentabilidade do Santander Brasil.

O banco, a terceira maior entidade financeira privada do Brasil, ressaltou que durante o Fórum Econômico Mundial, realizado em janeiro deste ano em Davos (Suíça), voltou a ser colocado sobre a mesa o elevado nível de contaminação dos produtos plásticos.

A nota lembra que, de acordo com especialistas, caso se mantenha o ritmo atual de descarte, o número de resíduos plásticos superará o de peixes nos oceanos até 2050.

O que é preciso para os juros caírem de verdade no Brasil?

UOL Notícias

Mais Mídia e Marketing