PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

OCDE vê sinais de arrefecimento, mas destaca crescimento do Brasil

11/03/2019 09h39

Paris, 11 mar (EFE).- A Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) indicou nesta segunda-feira que segue notando sinais de arrefecimento da atividade econômica na maior parte de seus países-membros, mas em contrapartida destacou uma mudança positiva no crescimento do Brasil.

A OCDE apontou que o indicador brasileiro subiu 27 centésimos, até 102,58 pontos. Nenhum outro país que possui estatísticas obteve um número tão elevado.

Por outro lado, a organização destacou que Alemanha e Itália tiveram quedas significativas em janeiro, de 19 centésimos para o primeiro e de 9 para o segundo, de modo que ficaram respectivamente com 99,38 pontos e 99,18 pontos, abaixo do nível 100 que marca o número médio a longo prazo.

No comunicado sobre os indicadores, a OCDE destacou que a França mostrou que seu ritmo de crescimento está se estabilizando: caiu 3 centésimos e ficou situado em 99,08 pontos.

Em uma situação similar aparece a Espanha, cujo indicador em janeiro se manteve estável em 99,39 pontos.

Os sinais de arrefecimento continuam se repetindo em outros grandes países da organização, como nos Estados Unidos (seu indicador caiu 23 centésimos até 99,05 pontos), no Canadá (caiu 15 centésimos, até 98,85 pontos) e no Reino Unido (caiu 17 centésimos até 98,41 pontos).

No Japão, que tinha ficado de fora dessa corrente geral, a OCDE também antecipou agora um arrefecimento como reflexo da queda prevista das vendas, do mercado de ações e das horas trabalhadas no setor manufatureiro.

Fora do conhecido "Clube dos países desenvolvidos", a China deu amostras de estabilização de seu crescimento, com uma leve queda de seu indicador (3 centésimos, até 98,31 pontos). EFE