PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Cazaquistão, Uzbequistão e Geórgia se somam a proibições do Boeing 737 MAX 8

13/03/2019 12h02

Astana, 13 mar (EFE).- A companhia aérea cazaque SCAT, a única que opera um Boeing 737 MAX 8 vetado por vários países após o acidente de domingo na Etiópia, anunciou nesta quarta-feira a suspensão de voos com esta aeronave até que sejam divulgados os resultados da investigação em andamento.

"Trata de uma decisão da companhia aérea privada SCAT que opera um avião (Boeing 737 Max)", explicaram à Agência Efe no Comitê cazaque de Aviação Civil.

Segundo a vice-presidente da entidade, Toti Amirova, a SCAT "está à espera dos resultados definitivos da investigação sobre as causas do acidente", que deixou 157 mortos no dia 10 de março.

Ao mesmo tempo, ressaltou que a proibição não afeta os voos de outros modelos do fabricante americano Boeing.

Seguindo a mesma linha, o Uzbequistão também anunciou a suspensão, por um mês, de todos os voos com Boeing 737 MAX 8, de acordo com informações divulgadas pelo Ministério de Transporte da república centro-asiática.

"A suspensão será temporária e aplicada desde hoje e terá um prazo de um mês", disse um porta-voz da pasta de Transporte, citado pela agência "Interfax".

Além disso, a Geórgia também suspendeu os voos dos Boeing 737 MAX 8 e 9 em seu espaço aéreo.

"Para garantir a segurança dos passageiros e dos voos, a partir de hoje os voos destes tipos de aeronaves no espaço aéreo do país foram suspensos temporariamente", disse à Agência Efe o chefe adjunto da Administração de Aviação Civil do Ministério de Economia da Geórgia, Alexander Gachechiladze.

"Os voos ficarão suspensos por um tempo, até que haja informação mais completa sobre as causas do acidente aéreo na Etiópia", precisou.

Após o acidente deste fim de semana, uma série de países de todo o mundo decidiram suspender todos os voos dos Boeing 737 MAX em seus espaços aéreos por motivos de segurança.EFE