PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

Barril do Texas fecha em baixa de 1%

25/04/2019 18h04

Nova York, 25 abr (EFE).- O barril de Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) fechou nesta quinta-feira em baixa de 1%, cotado a US$ 65,21.

Ao final das operações na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos futuros do WTI para entrega em junho caíram US$ 0,68 em relação ao valor de fechamento da última sessão.

A redução no preço do WTI continuou pelo segunda dia consecutivo, depois da forte valorização da última terça-feira, quando o hidrocarboneto alcançou seu preço máximo nos últimos seis meses devido à preocupação do mercado com a redução da oferta.

Ontem, a Administração de Informação de Energia dos EUA informou que, na semana passada, houve um aumento de 5,5 milhões de barris nas reservas de petróleo americanas, um número superior às expectativas mais moderadas dos analistas, que previam um crescimento de 1,3 milhão de barris.

Ao mesmo tempo, as reservas de gasolina caíram em 2,1 milhões de barris, uma quantidade que também superou as expectativas.

As autoridades assinalaram que a produção dos EUA, o maior fornecedor de petróleo do mundo na atualidade, chegou ao recorde de 12,2 milhões diários na semana passada.

Também pesou no mercado a decisão da Polônia e da Alemanha de suspender as importações de petróleo russo através do oleoduto de Druzhba, devido à contaminação de um duto que envia em torno de 1 milhão de barris diários, o equivalente a 1% da demanda global.

O aumento dos preços na segunda-feira e na terça-feira foi uma reação à decisão da Casa Branca de pôr fim às isenções para as importações de petróleo iraniano por parte de diversos países.

Assim, os Estados Unidos ameaçam com sanções países como China, Índia e Turquia, se continuarem comprando petróleo iraniano, ao suspender a prorrogação concedida há seis meses, aumentando a pressão sobre o Irã e o provocando certo nervosismo nos mercados globais.

Além de China, Índia e Turquia, a lista dos países que ainda importam petróleo iraniano tem Coreia do Sul, Japão, Taiwan, Grécia e Itália.

Por sua vez, os contratos de gasolina com vencimento em maio caíram menos de US$ 0,01, para US$ 2,12 o galão, enquanto os de gás natural com vencimento no mesmo mês somaram US$ 0,05, encerrando o dia em US$ 2,51 por cada mil pés cúbicos. EFE