IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Barril do Texas fecha em alta de 0,3%

09/07/2019 17h08

Nova York, 9 jul (EFE).- O barril de Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) fechou em alta de 0,3% nesta terça-feira, cotado a US$ 57,83, após outro dia marcado pelas tensões entre o Irã e os Estados Unidos e a expectativa de uma redução das reservas.

Ao final das operações da Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos futuros do WTI para entrega em agosto subiram US$ 0,17 com relação fechamento de ontem.

Os preços do petróleo do Texas subiram hoje de novo pelo quarto pregão consecutivo devido a assuntos geopolíticos, mas também nacionais.

O Irã começou a enriquecer urânio a uma pureza superior a 4,5% depois do fim do ultimato de 60 dias que as autoridades de Teerã fizeram aos signatários europeus do acordo nuclear para compensar o impacto da saída unilateral dos EUA.

Washington prometeu ontem que continuará com a campanha de "pressão máxima" sobre o Irã, a quem acusou de "extorsão nuclear", enquanto hoje a União Europeia (UE) reiterou seu pedido para que Teerã não tome mais medidas que vulnerem o acordo e se atenha aos seus compromissos.

Por sua vez, nesta terça-feira um porta-voz do governo iraniano, Ali Rabiei, respondeu à UE que cumprir com os compromissos é "proporcional" à adesão dos signatários europeus.

Segundo a agência de notícias oficial iraniana "IRNA", Rabiei disse que as medidas de Teerã para reduzi seus compromissos nucleares "são para salvar o acordo", que admite esta possibilidade, e não representa por enquanto uma ruptura do mesmo.

Hoje também influiu na cotação do WTI a decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) e seus aliados de ampliar seus cortes de produção até março de 2020, além do conflito comercial entre EUA e China, que faz os investidores temerem um esfriamento da economia global e, portanto, uma redução da demanda.

Por outro lado, o mercado está à espera pela divulgação dos dados semanais sobre as reservas de petróleo americano, já que está prevista uma queda de 3,6 milhões de barris, segundo as estimativas prévias ao relatório oficial da Agência de Informação sobre Energia.

Nesse contexto, os contratos de gasolina com vencimento em agosto subiram US$ 0,03, para US$ 1,93 o galão, enquanto os de gás natural com vencimento no mesmo mês aumentaram mais de US$ 0,02, até em US$ 2,43 por cada mil pés cúbicos. EFE

Mais Economia