PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Uzbequistão inicia processo oficial de negociação para aderir à OMC

24/07/2019 07h46

Moscou, 24 jul (EFE).- O Governo do Uzbequistão entregou ao diretor-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), Roberto Azevêdo, o memorando atualizado sobre o regime do comércio exterior do país, o que inicia o processo oficial de negociação para sua adesão à organização, informou nesta quarta-feira o Ministério das Relações Exteriores uzbeque.

O documento foi entregue a Azevêdo na terça-feira por Ulugbek Lapasov, representante permanente do Uzbequistão diante do Escritório da ONU e de outras organizações internacionais em Genebra.

Trata-se da primeira vez em 15 anos que o Uzbequistão preparou um documento oficial para os países-membros da OMC, "o que representa uma boa base para todo o processo de negociação", indicou em comunicado o Ministério de Exteriores uzbeque.

O processo de adesão quase não avançou desde que foi estabelecido em 1994 um grupo de trabalho para o Uzbequistão no seio da OMC, que se reuniu apenas em três ocasiões, a última a 2005, segundo a organização com sede em Genebra.

Em 2017, o presidente uzbeque, Shavkat Mirziyayev, disse que o país tinha retomado o trabalho para fazer parte da OMC.

De acordo com o Ministério de Relações Exteriores, Azevêdo "expressou seu pleno apoio à revitalização do processo de adesão à OMC por parte do Uzbequistão".

A pasta também apontou que "as reformas a grande escala" implementadas pelo país "são um fator-chave no desenvolvimento da política externa e nas relações econômicas exteriores da República, assim como a harmonização das normas e regulamentos da organização".

Segundo Taskent, o diretor-geral da OMC afirmou também que os representantes da Secretaria da organização "proporcionarão toda a assistência e o apoio necessário ao Uzbequistão neste processo", incluída a realização da próxima reunião do grupo de trabalho até o final do ano.

O processo de adesão à OMC é longo. Após o estabelecimento de um grupo de trabalho na OMC, são abertas de forma paralela negociações bilaterais, plurilaterais e multilaterais, que frequentemente são complicadas e consistem em conversas sobre as ofertas e o acesso ao mercado de bens e serviços, entre outras.

Se essas terminarem com sucesso, serão elaboradas as condições da adesão, que devem ser adotada pelo grupo de trabalho e aprovadas pelo Conselho Geral da OMC ou a Conferência Ministerial.

Posteriormente, o Governo em questão deve aceitar os termos de entrada mediante a assinatura ou ratificação do documento. EFE