PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

OIT: falta de políticas coordenadas pode eliminar 25 milhões de empregos

18/03/2020 18h14

Genebra, 18 mar (EFE).- Cerca de 25 milhões de pessoas podem perder os empregos devido à pandemia do coronavírus causador da Covid-19 se não houver uma resposta internacional com políticas coordenadas, alertou a Organização Internacional do Trabalho (OIT) por meio de um estudo divulgado nesta quarta-feira.

De acordo com a entidade, se essas políticas forem desenvolvidas e implementadas de forma consensual, como aconteceu durante a crise financeira de 2008, o impacto no nercado de trabalho "seria significativamente menor".

As medidas não devem ser apenas coordenadas, mas suficientemente rápidas e abrangentes. As principais devem ter como foco a manutenção dos empregos através de subsídios, se necessário, de alívio fiscal e financeiro e de empréstimos e apoio financeiro a alguns setores.

No melhor cenário, ou seja, o de que a Covid-19 seja contida em um curto período e que as atividades econômicas possam ser retomadas, 5,3 milhões de empregos serão perdidos. No pior cenário, a estimativa é de que 24,7 milhões de pessoas ficarão desempregadas.

O futuro das vagas dependerá que os países onde hoje há poucos casos impeçam a propagação do coronavírus dentro e fora das suas fronteiras.

O que não se pode negar é que mesmo no cenário mais positivo os trabalhadores serão prejudicados, como foram durante a última crise econômica de 2008, quando o desemprego aumentou em 22 milhões, como lembrou a análise da OIT.

Nestas circunstâncias, o subemprego também aumentará, já que a crise resultará em salários mais baixos e horários de trabalho mais longos, enquanto os que trabalham por conta própria ou em regime "independente" também sofrerão com a diminuição do consumo.