PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Macy's dispensará maioria dos 130 mil funcionários

30/03/2020 22h16

Nova York, 30 mar (EFE).- A icônica rede de lojas de departamento Macy's anunciou que vai dispensar, a partir desta semana, a maioria de seus 130 mil funcionários para manter o "mínimo necessário para as operações básicas", já que vem sofrendo prejuízos devido à pandemia do coronavírus transmissor da Covid-19.

Em breve comunicado, a empresa, cujas lojas estão fechadas desde o último dia 18, informou que as medidas que tomou para manter a "flexibilidade financeira" não são suficientes e que dará licenças de trabalho não remuneradas à maioria dos funcionários, com algumas exceções para os que trabalham no setor de vendas online.

A Macy's também explicou que, "pelo menos até o final de maio", os trabalhadores continuarão a receber plano de saúde.

"Esperamos trazer nossos colegas de volta gradualmente à medida em que os negócios se recuperem", acrescenta a nota.

A companhia disse que o surto de coronavírus colocou "uma pesada carga" sobre suas atividades, mas que sua "maior prioridade é a saúde e segurança" dos clientes, funcionários e as comunidades nas quais ela atua.

"Embora o setor digital ainda funcione, perdemos a maior parte das nossas vendas devido ao fechamento de lojas. Tomamos medidas para manter a flexibilidade financeira, incluindo a suspensão de dividendos, a retirada da nossa linha de crédito, o congelamento de contratações e gastos, a suspensão de gastos de capital, a redução de contas, o cancelamento de alguns pedidos e a extensão das condições de pagamento, e estamos avaliando todas as outras opções de financiamento", afirmou a empresa.

"Nas marcas Macy's, Bloomingdales e Bluemercury, vamos manter o pessoal absolutamente mínimo necessário para manter as operações básicas. Isso significa que a maioria dos nossos colegas vai receber licenças sem vencimento a partir desta semana", acrescenta a nota.

Antes da chegada do coronavírus aos EUA e do fechamento temporário de empresas e medidas de confinamento de cidadãos que alguns estados estão tomando, a Macy's, como outras grandes varejistas e lojas de departamento, já estava em dificuldades financeiras. No mês passado, anunciou que estaria fechando mais de 100 lojas nos próximos três anos e cortando 2 mil postos de trabalho.