PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Espanha quer criar 800 mil empregos en 3 anos com plano de recuperação

07/10/2020 17h45

Madri, 7 out (EFE).- O presidente do Governo da Espanha, Pedro Sánchez, anunciou nesta quarta-feira que utilizará os recursos disponilizados pela União Europeia para ajudar na recuperação da crise causada pela pandemia de Covid-19 e criar 800 mil empregos e aumentar seu PIB em 2,5% entre 2021 e 2023.

Durante a apresentação do "Plano de Recuperação, Transformação e Resiliência da Economia Espanhola", Sánchez explicou que utilizará, nos próximos três anos, 72 bilhões de euros de um fundo total de 140 bilhões de euros que a Espanha tem direito até 2026.

Desse montante que será investidos na primeira metade do período, 59 bilhões de euros são provenientes do fundo de recuperação e resiliência e 12,4 bilhões do React-UE.

Além disso, também foram destinados à Espanha 79 bilhões de euros em fundos estruturais e de política agrícola comum (PAC).

De acordo com o governo espanhol, boa parte dos investimentos planejados será dedicada à transição ecológica (37%) e digital (33%).

Sánchez também ressaltou que pretende acelerar a transformação do sistema energético para que, até 2050, toda a energia consumida pelo país seja de fontes renováveis, motivo pelo qual investirá na ampliação "massiva" do atual parque gerador de energias limpas.

Ao mesmo tempo, o governo buscará promover o uso de veículos elétricos, e tem como meta chegar a 250 mil novas unidades em circulação até 2023.

Além disso, Sánchez pretende reformar mais de 500 mil residências para torná-las ecologicamente mais eficientes e também recuperar 25.000 quilômetros de rios, projeto ao que serão destinados 2,5 bilhões de euros.

ESPANHA DIGITAL E MODERNA.

No que diz respeito à transformação digital, Sánchez explicou que pretende estender a formação no setor a mais de 2,5 milhões de pequenas e médias empresas, e também a 80% dos espanhóis.

Por outro lado, também planeja que 75% da população tenha acesso à rede de internet móvel 5G, além de oferecer treinamentos para que 150 mil servidores públicos possam trabalhar à distância.

"A pandemia acelerou as mudanças que já prevíamos", disse Sánchez.

O presidente do governo ainda acrescentou que o objetivo é que as transformações digitais e ecológicas sejam inclusivas e que o crescimento econômico seja baseado em "pilares mais robustos" para conquistar o futuro desejado.

"Temos tudo o que precisamos: infraestrutura, recursos, talentos, tecido produtivo, além da visão e das ferramentas para alcançar nossos objetivos", ressaltou o presidente.

O governo espanhol vai incluir a primeira anuidade dos fundos europeus, cerca de 27 bilhões de euros, no projecto de orçamento para 2021, cuja aprovação no congresso ainda não está garantida.

Nesse sentido, Sánchez defendeu que o "orçamento para o próximo ano não é só mais um", devido à crise desencadeada pela pandemia, e pediu o apoio das demais forças políticas do país para aprovar um planejamento financeiro que permita o "progresso" que o país "necessita com urgência".

Segundo o chefe de Estado, a recuperação da economia espanhola depois da pandemia precisa da participação de "todas as energias nacionais" e é nesse contexto que se enquadra o orçamento apresentado pelo governo, que pretende promover "uma nova modernização da Espanha".

PUBLICIDADE