PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Fernández destaca "capacidade e experiência" de novo ministro da Economia

29/07/2022 21h56

Buenos Aires, 29 jul (EFE).- O presidente da Argentina, Alberto Fernández, destacou nesta sexta-feira a "visão, capacidade e experiência" de Sergio Massa para ser o novo ministro da Economia, cargo que assumirá formalmente na próxima semana.

"Convidei @SergioMassa a se juntar à equipe do governo. Sua visão, capacidade e experiência nos permitirão continuar trabalhando e melhorando o roteiro que nos propusemos para levar a Argentina ao lugar que queremos e que ela merece", escreveu Fernández no Twitter.

Em uma sequência de mensagens que foram suas primeiras declarações públicas um dia após a nomeação de Massa, Fernández fez referência às dificuldades econômicas das últimas semanas, que viram forte turbulência nos mercados financeiros, com a alta do dólar e a queda dos títulos públicos.

"O que vivemos como país e como sociedade nos últimos meses, e em particular nas últimas semanas, nos obriga a ter uma melhor coordenação, exigindo um esforço conjunto das forças produtivas. A concentração da definição da política econômica nos permitirá trabalhar de uma maneira mais rápida, ágil e eficiente para nos tirar do ponto em que estamos", acrescentou.

Na quinta-feira, o governo argentino anunciou em comunicado que Massa, presidente da Câmara dos Deputados desde 2019 e um dos expoentes da coalizão de governo, tomará as rédeas não apenas da pasta econômica, mas também dos ministérios de Desenvolvimento Produtivo e Agricultura, Pecuária e Pesca, incluindo relações com agências de empréstimo internacionais, bilaterais e multilaterais.

Massa, de 50 anos, substitui Silvina Batakis, que assumiu o cargo em 4 de julho após a renúncia de Martín Guzmán em meio a fortes tensões políticas dentro do partido governista, uma mudança que alimentou a turbulência nos mercados de ações e bolsas.

Também no Twitter, Fernández disse que os integrantes que deixaram o governo "entenderam a seriedade do momento e permitiram esta reorganização tão necessária", especialmente Batakis e Daniel Scioli, sendo que este último voltará a ser embaixador no Brasil um mês e meio depois de ter deixado o posto para assumir o Ministério do Desenvolvimento Produtivo, uma pasta que agora está integrada ao Ministério da Economia. EFE