Bolsas

Câmbio

China deve manter limite à participação estrangeira em empresas automobilísticas

Pequim

A China sinalizou que não tem planos no curto prazo para afrouxar as regras que limitam a participação das companhias estrangeiras ao máximo de 50% nas operações de fabricação de veículos no país. Os Estados Unidos têm pedido maior acesso a esse mercado.

O ministro da Indústria chinês, Miao Wei, disse a executivos no Fórum de Desenvolvimento da China que a retirada do limite ocorreria apenas de maneira gradual - primeiro com veículos comerciais, depois com carros de passageiros, disse uma pessoa ligada ao assunto. Miao não falou sobre prazos específicos.

Na China, as companhias do setor devem formar joint ventures com parceiras locais, sendo que as estrangeiras podem ter no máximo 50% de participação nesses negócios. Excetuando-se o caso da fabricação de veículos elétricos e de certos veículos que causam menos impacto ambiental, cada uma das estrangeiras pode estabelecer apenas duas joint ventures no país.

O governo do presidente americano, Donald Trump, alega que essas joint ventures forçam companhias a divulgar segredos comerciais. A China nega que exista esse problema. Fonte: Dow Jones Newswires.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos