ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

'Não pode haver perseguição', diz Guardia sobre BNDES

Vinicius Neder e Célia Froufe

Londres e Rio

09/11/2018 08h40

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, disse na quinta-feira (8), em Londres, que "não pode haver revanchismo nem perseguição" nas apurações de irregularidades dentro do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) ou de qualquer outro órgão do governo.

Guardia foi questionado pelo jornal O Estado de S.Paulo sobre as declarações feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro no dia anterior e reforçadas, na quinta-feira, em sua conta no Twitter: "Firmo o compromisso de iniciar o meu mandato determinado a abrir a caixa-preta do BNDES e revelar ao povo brasileiro o que feito com seu dinheiro nos últimos anos".

Leia também:

A instituição foi alvo de investigação da Polícia Federal que indiciou os ex-ministros da Fazenda Guido Mantega e Antonio Palocci, bem como o ex-presidente do banco Luciano Coutinho. O empresário Joesley Batista (JBS) também foi alvo das investigações. Em todos os casos foram apuradas supostas operações ilícitas no BNDES.

Na avaliação de Guardia, o novo governo deve confiar nos órgãos de controle. "Para quem está entrando, em qualquer área de governo: deixe os órgãos de controle funcionar", recomendou. "Foram feitas coisas erradas no passado, e as pessoas já estão respondendo na Justiça."

De volta à berlinda por causa de declarações de Bolsonaro, a divulgação de informações das operações do BNDES ganhará um reforço no próximo dia 29. O site do banco passará a informar o ritmo de desembolsos de cada operação de crédito e o retorno líquido de cada investimento em ações. A reformulação do site, anunciada em agosto, faz parte de um processo acelerado em 2015. Fontes ouvidas pelo jornal O Estado de S. Paulo sugerem que, hoje, haveria pouco a avançar em termos de redução de sigilo.

Hoje, pelo site, é possível identificar os tomadores de recursos, o valor das operações, taxas e prazos. Com a reformulação do site, será possível saber em cada operação, quanto foi liberado.

A divulgação pública de informações numa questão legal, que passa por uma discussão sobre o que deve prevalecer: o direito ao sigilo bancário ou a obrigação à publicidade dos entes públicos. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, disse na quinta-feira (8), em Londres, que \"não pode haver revanchismo nem perseguição\" nas apurações de irregularidades dentro do BNDES (Banco Nacional de Desenv","image":{"sizes":{"personalizado":"","original":"300x225"},"height":225,"width":300,"crops":"1x1;3x4;4x3;9x16;16x9;16x12;80x80;142x100;142x200;300x100;300x200;300x225;300x300;300x420;300x500;615x300;615x470;956x500;1024x725","src":"http://conteudo.imguol.com.br/c/noticias/26/2018/05/09/eduardo-guardia-fala-sobre-o-projeto-de-desestatizacao-da-eletrobras-1525897396458_v2_300x225.jpg","type":"","titulo":"","credito":"Wilson Dias/Agência Brasil"},"date":"09/11/2018 11h48","kicker":"Estadão Conteúdo"}}' cp-area='{"xs-sm":"49.88px","md-lg":"33.88px"}' config-name="economia/economia">

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia