PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Todos estão ligados na reforma pela sustentabilidade fiscal, diz Guedes

Célia Froufe, enviada especial

Davos

23/01/2019 11h36

Após uma manhã de reuniões bilaterais durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que levará a reforma da Previdência ao Congresso Nacional logo após o inicio das atividades do Legislativo, garantiu que a equipe econômica vai trabalhar para que a aprovação da proposta seja rápida e avaliou que os investidores estrangeiros estão "animados" com o novo governo do País.

"Todo mundo está muito animado", disse Guedes a jornalistas, em Davos.

Segundo ele, entre todas as propostas de mudanças que o governo vem falando, a mais aguardada pelos investidores internacionais é a da Previdência. "Todo mundo está ligado na reforma da Previdência por causa da questão de sustentabilidade fiscal", considerou.

Em resposta à consideração de que muitos investidores estrangeiros dizerem que só terão mais confiança em relação ao Brasil quando a proposta de reforma começar a ser analisada, Guedes respondeu que "sim, [o projeto de reforma] tem que ser aprovado".

Por isso, de acordo com Guedes, é que a equipe econômica decidiu apresentar a proposta tão logo o Legislativo inicie seus trabalhos - isso deve acontecer a partir de 1º de fevereiro. "Não sei se na primeira semana, mas assim que o Congresso chegar, vamos apresentar a proposta. Até não estou colocando outras coisas para não entupir a pauta", explicou.

Ele disse que não tem como fazer estimativas sobre o tempo que deputados e senadores tomarão para avaliar as sugestões do Executivo. "Mas vamos tentar que seja bem rápido", disse. "Estou muito otimista", acrescentou. Questionado se não será complicada a aprovação já que se trata de um Congresso novo e fragmentado, ele respondeu: "Acho que vai ser legal [a negociação]."