PUBLICIDADE
IPCA
+0,53 Jun.2021
Topo

Faltava trabalho para 26,976 milhões de pessoas no País no trimestre até dezembro

Daniela Amorim

Rio

31/01/2019 11h39

Faltou trabalho para 26,976 milhões de pessoas no País no trimestre encerrado em dezembro deste ano, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), iniciada em 2012 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A taxa composta de subutilização da força de trabalho recuou de 24,2% no trimestre até setembro de 2018 para 23,9% no trimestre até dezembro deste ano.

O indicador inclui a taxa de desocupação, a taxa de subocupação por insuficiência de horas e a taxa da força de trabalho potencial, pessoas que não estão em busca de emprego, mas que estariam disponíveis para trabalhar. No trimestre até dezembro de 2017, a taxa de subutilização da força de trabalho estava mais baixa, em 23,6%.

Segundo os dados do IBGE, faltou trabalho em média para 27,401 milhões de pessoas em 2018, uma alta de 3,4% em relação ao desempenho de 2017. A taxa de subutilização média da força de trabalho foi de 24,4% no ano de 2018.

Massa de salários

De acordo com o IBGE, a massa de salários em circulação na economia cresceu R$ 3,355 bilhões no período de um ano, para R$ 204,592 bilhões, uma alta de 1,7% no trimestre encerrado em dezembro de 2018 em relação ao mesmo período de 2017, puxada pelo aumento no número de pessoas trabalhando.

Na comparação com o trimestre terminado em setembro deste ano, a massa de renda real subiu 1,3%, com R$ 2,586 bilhões a mais. No mesmo período, 381 mil postos de trabalho foram criados.

O rendimento médio dos trabalhadores ocupados teve ligeira alta de 0,8% na comparação com o trimestre até setembro, R$ 17 a mais. Em relação ao trimestre encerrado em dezembro do ano passado, a renda média subiu 0,6%, para R$ 2.254, R$ 13 a mais que o salário de um ano antes.