Topo

FMI diz que BCs precisam se preparar para responder desaceleração com mais força

Victor Rezende

São Paulo

16/07/2019 07h37

O diretor-gerente interino do Fundo Monetário Internacional (FMI), David Lipton, afirmou nesta terça-feira que os bancos centrais precisam estar prontos para responder com mais força à desaceleração da economia global e apontou que o ritmo lento de expansão econômica no mundo aumenta a preocupação de que uma resposta seja necessária. Ele espera um crescimento global "levemente mais forte" no próximo ano e refutou as chances de que haja uma contração na economia mundial.

Em entrevista à Bloomberg TV, Lipton disse, ainda, que, na Europa, é necessário que todas as ferramentas disponíveis estejam sobre a mesa e disse que a expansão econômica da China deve diminuir gradualmente, embora tenha alertado que é possível haver um desaquecimento mais intenso na segunda maior economia do globo devido às disputas comerciais. Em relação aos Estados Unidos, Lipton ressaltou os níveis baixos do desemprego no país, mas ponderou ao apontar que as pressões inflacionárias estão silenciosas.

Lipton substitui Christine Lagarde à frente do FMI. No fim do mês passado, Lagarde foi indicada pelos líderes da União Europeia ao comando do Banco Central Europeu (BCE) e, por isso, se afastou do Fundo. Para Lipton, o futuro diretor-gerente do FMI enfrentará "um momento de testes" na economia devido à desaceleração em todo o globo.

Mais Economia