PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Ministério da Economia anuncia R$ 147,3 bilhões em plano anticoronavírus

Guedes em evento nos Estados Unidos[fotografoInst.PIIE/Jeremey Tripp[/fotografo] - Guedes em evento nos Estados Unidos[fotografoInst.PIIE/Jeremey Tripp[/fotografo]
Guedes em evento nos Estados Unidos[fotografoInst.PIIE/Jeremey Tripp[/fotografo] Imagem: Guedes em evento nos Estados Unidos[fotografoInst.PIIE/Jeremey Tripp[/fotografo]

Idiana Tomazelli, Anne Warth e Amanda Pupo

Brasília

16/03/2020 18h52

O Ministério da Economia anunciou hoje novas medidas para reduzir os efeitos econômicos da pandemia do novo coronavírus.

Segundo o governo, serão empregados R$ 147,3 bilhões em medidas emergenciais para socorrer setores da economia e grupos de cidadãos mais vulneráveis, além de evitar a alta do desemprego. Desse valor, R$ 83,4 bilhões devem ser destinados à população mais pobre e mais idosa.

A ideia é que esses valores sejam injetados na economia nos próximos três meses. A lista inclui medidas que já foram anunciadas desde a semana passada e novas iniciativas divulgadas nesta segunda.

Entre as novas ações estão antecipação da segunda parcela do 13º de aposentados e pensionistas do INSS para maio - liberação de mais R$ 23 bilhões. Na semana passada, o governo já tinha anunciada a antecipação da primeira parcela do 13º para aposentados e pensionistas para abril.

Outra medida anunciada hoje é a transferência de valores não sacados do PIS/Pasep para o FGTS, para permitir novos saques, com impacto de até R$ 21,5 bilhões.

O governo também decidiu antecipar o abono salarial para junho, com injeção de R$ 12,8 bilhões.

Como antecipou o Estadão/Broadcast, também será incrementado o programa Bolsa Família, com a inclusão de mais 1 milhão de beneficiários. O impacto é de R$ 3,1 bilhões.