PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Safra de soja será recorde em 119,4 milhões em 2020, diz IBGE

Vinicius Neder

Rio

09/06/2020 11h45

Está mantida a previsão de safra recorde de soja em 2020, segundo os dados do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de maio, divulgado nesta terça-feira, 9, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A produção da soja deverá somar 119,4 milhões de toneladas, alta de 5,2% ante 2019.

A estimativa de maio para a produção de soja em 2020 ficou 1,4% abaixo da estimativa de abril mas, mesmo com a correção para baixo, a safra da principal cultura nacional deverá superar o recorde anterior, de 2018. Segundo o IBGE, a correção para baixo registrada em maio foi puxada pela produção no Rio Grande do Sul, por causa do clima. A produção gaúcha está agora estimada em 11,2 milhões de toneladas, 16,1% abaixo da estimativa de abril. Com isso, a produção gaúcha ficará 39,3% abaixo de 2019.

"O Estado vem sofrendo com uma forte seca desde dezembro de 2019, e que se estendeu até o mês de maio, prejudicando grande parte das áreas produtoras de soja. A escassez de chuvas influenciou diretamente o rendimento médio do grão, que deve ficar próximo de 1,9 toneladas por hectare, uma queda de 40,7% na comparação com a média estadual de 2019", diz a nota divulgada nesta terça-feira pelo IBGE.

Arroz

Já a produção de arroz, que deverá somar 10,8 milhões de toneladas e ficar 5,3% acima da safra de 2019, foi revista para cima em maio. Ante o LSPA de abril, a estimativa de produção ficou 1,7% maior, "em virtude da reavaliação no rendimento médio, que alcançou 6,5 mil kg/ha", segundo o IBGE. "A região Sul, que concentra cerca de 83,0% da produção nacional, apresentou um incremento de 2,6%, por causa do aumento de 2,4% na produtividade da cultura", diz a nota do IBGE.

A alta esperada na produção será conseguida mesmo com o declínio de 2,8% na área plantada, levando a alta de 7,4% no rendimento médio.

Café

A safra de café, por sua vez, foi revista para baixo em maio. A estimativa de maio foi de 3,4 milhões de toneladas, ou 57,3 milhões de sacas de 60 kg, declínio de 0,7% em relação a abril. Em relação ao ano anterior, a estimativa da produção foi 14,7% maior, informou o IBGE.

A alta é puxada pelo café arábica que, em virtude da bienalidade da produção, deverá ter safra 23% superior a 2019, com 42,5 milhões de sacas de 60 kg. "Em Minas Gerais, principal produtor brasileiro, devendo responder por 74,1% da produção em 2020, a estimativa da produção, de 1,9 milhão de toneladas, ou 31,5 milhões de sacas de 60 kg, apresenta crescimento de 27,4%, devendo o rendimento médio aumentar em 19,6% em relação ao ano anterior", diz o IBGE.

Já para o café canephora, mais conhecido como conilon, a estimativa da produção, de 885,6 mil toneladas, ou 14,8 milhões de sacas de 60 kg, deverá ficar 4,0% abaixo de 2019. "A produção capixaba, que representa 67,4% do total nacional, encontra-se 5,7% menor, em decorrência do declínio de 6,0% no rendimento médio", diz o IBGE.