PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Mnuchin e Meadows pedem aprovação de estímulo temporário nos EUA

Matheus Piovesana

São Paulo

11/10/2020 16h48

Em carta aos membros da Câmara dos Representantes e do Senado americano, o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, e o chefe de gabinete da Casa Branca, Mark Meadows, defendem a aprovação de um estímulo provisório à economia americana com recursos do programa de proteção ao emprego que não foram utilizados. O texto afirma que esta seria a solução para a economia enquanto as negociações por um novo pacote de estímulos, que pode passar de US$ 2 trilhões, não avançam.

"Oferecemos diferentes propostas em um esforço para aprovar uma legislação bipartidária", escrevem Mnuchin e Meadows. "A Câmara aprovou dois projetos partidários separados ao invés de se comprometer conosco em uma legislação bipartidária como fizemos no passado", afirmam os dois. Segundo eles, o "tudo ou nada" é uma resposta "inaceitável" ao povo americano.

Os chefes do Tesouro e do gabinete do presidente americano, Donald Trump, lembram que outros pacotes de estímulos foram aprovados no início da pandemia para dar suporte à pandemia, tanto pelo Senado quanto pela Câmara dos Representantes.

"Este foi um verdadeiro exemplo de trabalho conjunto para ajudar os trabalhadores e negócios americanos que foram impactados pela pandemia. Como resultado dessa legislação, a economia se recuperou rapidamente, e não experimentamos um desastre econômico similar à

Grande Depressão", afirmam.

Mnuchin e Meadows afirmam que estão disponíveis para negociações com ambos os partidos, assim como Trump. Além disso, eles destacam que seguirão trabalhando com a presidente da Câmara, a democrata Nancy Pelosi, e com o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer, nas negociações.

As conversas em torno de um novo pacote estão, de acordo com Pelosi, em um "impasse". O governo propôs recursos da ordem de US$ 1,8 trilhão, mas admite elevar o valor para mais do que os US$ 2,2 trilhões pedidos pelos democratas. No momento, a discordância é em torno da quantidade de recursos que será destinada ao combate à covid-19. Haveria dificuldades de convencer, inclusive, os parlamentares republicanos sobre os valores do pacote.

A carta afirma que o governo está comprometido em financiar o combate à pandemia, e também em ajudar setores como os de turismo, restaurantes e outros que foram impactados pelo fechamento da economia. Além disso, o texto destaca que o governo tem feito esforços para financiar escolas, para que os alunos possam voltar às aulas presenciais ou estudar em casa.