PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

CVC tem prejuízo de R$ 81,4 mi no 1º trimestre

A receita líquida atingiu R$ 165,935 milhões, recuo de 58,2% sobre o mesmo intervalo de 2020 (janeiro a março) - Roberto Tamer/Divulgação
A receita líquida atingiu R$ 165,935 milhões, recuo de 58,2% sobre o mesmo intervalo de 2020 (janeiro a março) Imagem: Roberto Tamer/Divulgação

Daniele Madureira, especial para o Broadcast

14/05/2021 21h19

A operadora de turismo CVC registrou prejuízo de R$ 81,4 milhões no primeiro trimestre de 2021, o que representou uma queda de 92,9% ante as perdas de R$ 1,151 bilhão acumuladas no mesmo período de 2020.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ficou negativo em R$ 56,403 milhões, o que representou uma melhora de 92,4% ante o Ebitda negativo de R$ 741,432 milhões do mesmo intervalo do ano passado.

As despesas financeiras somaram R$ 10,531 milhões no período de janeiro a março, uma queda de 79,1% sobre a despesa financeira de um ano antes.

A receita líquida atingiu no período R$ 165,935 milhões, recuo de 58,2% sobre o mesmo intervalo de 2020.

Segundo a empresa, o prejuízo do período decorre, mais uma vez, do impacto causado pela pandemia da covid-19, especialmente no Brasil. "No primeiro trimestre do ano de 2021 fizemos bons progressos na preparação da CVC para liderar a retomada dos negócios, com uma boa evolução financeira, embora os volumes de novas vendas e embarques tenham sido abaixo das expectativas em função das restrições impostas devido ao aumento de casos, nesta nova onda da pandemia covid-19", informou, na mensagem da administração que acompanha o balanço.

Em janeiro, a CVC realizou a quinta emissão de debêntures no valor de R$ 436,4 milhões e vencimento em 10 de junho em 2023. Os recursos captados serão integralmente usados para o pagamento antecipado do passivo financeiro junto ao Citibank.

Segundo a empresa, o processo de capitalização, lançado em 9 de julho de 2020, foi encerrado com a conclusão da segunda etapa. O montante total integralizado no capital foi de R$ 665,6 milhões. "A primeira fase desse processo foi encerrada em setembro de 2020 e totalizou R$ 301,7 milhões, com a integralização de 100% do total proposto.

A segunda etapa, concluída e comunicada ao mercado em 3 de fevereiro de 2021, resultou em um aumento adicional de capital de R$ 363,9 milhões, tendo exercício de 90,7% dos bônus de subscrição disponíveis", informou.